Yi Xing, monge e genial cientista da Dinastia Tang

O monge Yi Xing, nasceu em 683 d.C. com o nome de Zhang Sui durante a Dinastia Tang. Seu pai serviu como magistrado por poucos mandatos e morreu jovem. Sem dinheiro e sem pai, Zhang Sui viveu na pobreza. Desde sua infância, ele tinha uma mente aguçada em absorver conhecimento e tinha interesse especial por astronomia e pelos cinco elementos.

Aos 20 anos de idade, Zhang Sui foi para Chang’an, capital da Dinastia Tang, na esperança de encontrar um mestre que o ajudasse a aprofundar seus estudos. Lá encontrou um sacerdote taoísta chamado Yin Chong, que era um erudito.

Zhang Sui fazia visitas frequentes a Yin Chong e pegava livros emprestados com ele. Um dia, Zhang Sui tomou emprestado o livro Tai Xuan Jing, escrito pelo confucionista Yang Xiong da Dinastia Han Oriental (25-220 d.C.). Era um livro complexo sobre filosofia, natureza e ciência. Poucos dias depois, Zhang Sui devolveu o livro para Yin Chong. Yin Chong pensou que Zhang Sui havia devolvido o livro rapidamente porque era chato e muito difícil de entender.

Mas quando Zhang Sui mostrou-lhe as anotações que havia feito para discutir com ele, Yin Chong ficou surpreendido. Yin Chong estava estudando o livro há anos, mas sem um conhecimento profundo sobre ele. Para sua surpresa, Zhang Sui adquiriu completo domínio do livro. Desde então, Zhang Sui foi saudado como um estudioso erudito.

Zhang Sui torna-se o monge Yi Xing

Depois que Wu Zetian, a única imperadora mulher na história da China, subiu ao trono, seu sobrinho também recebeu um cargo importante.

Perseguindo fama e louvores, ele procurava fazer amizade com famosos e sábios eruditos para elevar sua posição social. Ele declarou que iria fazer amizade com Zhang Sui.

Como uma pessoa íntegra, Zhang Sui não estava disposto a se associar com uma pessoa tão vil e recusava suas visitas, dando desculpas de que estava doente. No entanto, o sobrinho da imperatriz tentou todos os meios possíveis para se aproximar dele. Incapaz de se livrar da perturbação, ele pensou em se retirar num templo como monge budista.

Em 705, ele deixou Chang’an e se tornou o monge chamado Yi Xing no Templo de Chongyang na Montanha de Song, província de Henan. Ele se tornou um discípulo do Mestre Pu Ji no cultivo religioso. O nome Zhang Sui foi gradualmente esquecido e ele passou a ser conhecido como o monge Yi Xing.

Como monge, Yi Xing dedicou sua vida a estudar as escrituras budistas, astronomia e matemática. Ele também passou um tempo viajando.

Em 717, os parentes de Yi Xing recomendaram seus serviços ao Imperador Xuanzong. Ao tomar conhecimento da perícia de Yi Xing em astronomia e matemática, o Imperador Xuanzong não podia esperar para vê-lo. Logo depois, Xuanzong arranjou que ele trabalhasse no Templo de Huayan com os monges da Índia para traduzir várias escrituras budistas e instruir os ensinamentos do Budismo Vajrayana. O Imperador Xuanzong costumava chamá-lo para consultar sobre a estabilização de seu país e a alimentação de seu povo. O profundo conhecimento e domínio adquiridos por Yi Xing conquistaram significativa confiança de Taizong.

O monge Yi Xing cria o Calendário Da Yan

Na antiga China, a agricultura estava intimamente ligada com as observações do calendário e as mudanças sazonais. Como resultado, os imperadores de todas as dinastias enfatizavam a astronomia.

Desde 721, Yi Xing foi nomeado astrônomo da corte para participar na observação astronômica e na reforma do calendário. Uma vez que os instrumentos de medição astronômica armazenados no palácio estavam muito desgastados para serem utilizados, Yi Xing se pôs a projetar novos instrumentos.

Ele desenhou um modelo da esfera armilar Tang, e pediu ao Imperador para fundi-lo em ferro e bronze.

Em 724, a esfera armilar Tang foi feita com sucesso para recalibrar a localização de 150 estrelas. No ano seguinte, Yi Xing passou a criar a estrutura de uma elaborada esfera armilar movida à água, que refletia o movimento regular do sol, da lua e dos cinco principais planetas. Além disso, a esfera era um contador de horas automático movido à água. O relógio batia um tambor a cada Shichen (duas horas) e tocava a cada quarto de Shichen. Sua invenção foi reconhecida como o primeiro relógio astronômico na China.

No mesmo ano, Yi Xing liderou um projeto de larga escala para corrigir o calendário e obter uma medida precisa do comprimento do arco do meridiano. Astrônomos imperiais assistentes foram despachados para selecionar sítios de observação (13 no total) nas planícies do norte da China.

Em uma Plataforma de Medição de Sombra em Yangcheng, uma pedra gnômon de dois metros e meio de altura foi erguida, substituindo a plataforma, para fazer medições no local. Depois de todas as medições estarem completas, Yi Xing foi capaz de calcular com precisão o comprimento do meridiano.

A criação de instrumentos astronômicos e as observações locais foram seguidas pela revisão do calendário em 724. Ele utilizou algumas características das versões anteriores como referência para criar um calendário mais preciso. Depois de quatro anos de árduo trabalho, o calendário revisado, denominado Da Yan, foi publicado, compreendendo 52 volumes bem organizados e logicamente dedutíveis.

Em 728, o Calendário Da Yan foi adotado e recebido calorosa e entusiasticamente como sendo, de longe, o calendário mais preciso.

O novo calendário também se espalhou para o Japão e a Índia. Em 763, o Imperador Junnin do Japão emitiu uma ordem para revogar o calendário japonês e implementar o calendário Da Yan da China. O Calendário Da Yan foi utilizado por quase 900 anos após a sua publicação em 727 até o final da Dinastia Ming, quando o calendário ocidental gregoriano foi introduzido na China.

Yi Xing fez três avanços no campo da astronomia. Ele foi o primeiro a medir com sucesso o comprimento da linha do meridiano. Ele foi o primeiro a sugerir a teoria de que a distância entre a lua e o sol era menor do que entre a Terra e o Sol. E ele foi o primeiro a descobrir o movimento das estrelas.

Através de observações, ele descobriu o movimento regular do Sol e inferiu que as outras estrelas também se moviam. Edmund Halley (1656-1742) também apresentou uma teoria semelhante em 1718, portanto, 1.000 anos mais tarde. Em 1982, a comunidade internacional dividiu a lua em várias regiões, uma das quais foi chamada de “Yi Xing”.

A passagem do monge Yi Xing

Em 727, um homem chamado Pei Kuan foi apontado como o governador de Henan. Dedicado a sua crença religiosa no budismo, ele tratava o monge Pu Ji como seu mestre e fazia visitas diárias a ele. Um dia, Pei Kuan chegou à casa do monge Pu Ji, e notou que Pu Ji esperava um hóspede importante. Momentos depois, um jovem monge bateu na porta dizendo: “O monge Yi Xing acaba de chegar.”

Yi Xing entrou na casa indo diretamente ao seu mestre para prestar-lhe respeito. Em seguida, Yi Xing teve uma conversa muito secreta com Pu Ji sussurrando para ele.

Pu Ji sempre respondia dizendo, “Sim. Sim.” Depois de terminar, Yi Xing desceu os degraus em direção a uma casa na direção sul. Uma vez lá dentro, ele trancou a porta. Então, Pu Ji anunciou aos discípulos: “Soem o relógio! O monge Yi Xing já faleceu!”

Pei Kuan e os monges correram para a casa onde o monge Yi Xing estava e deram uma olhada para dentro. Yi Xing estava sentado na postura de meditação com os olhos fechados. Quando eles testaram a sua respiração, eles descobriram que Yi Xing tinha de fato falecido. Assim, como muitos monges notáveis na história da China, Yi Xing sabia que ele havia terminado com sucesso seu cultivo budista e fez arranjos para a sua “partida”.

Este artigo pertence a série “Histórias da antiga China”; para ler outros artigos da série, clique aqui.

 
Matérias Relacionadas