Xerife do Arizona revela aumento cinco vezes maior das passagens ilegais na fronteira

Por Charlotte Cuthbertson

A perseguição de veículos em alta velocidade a supostos contrabandistas de seres humanos e outros crimes relacionados a imigrantes ilegais estão se tornando mais comuns no condado de Cochise, Arizona, de acordo com o xerife Mark Dannels.

Dannels rastreia travessias ilegais de fronteira por meio de sua extensa operação de câmeras escondidas ao longo dos 133 quilômetros de fronteira compartilhada de seu condado com o México.

As câmeras mostraram 1.200 entradas ilegais em agosto de 2020 e, em dezembro, mais do que dobrou para 2.500, disse ele. Antes de agosto, 500 era um mês agitado.

“Isso é o que me assusta em relação a tudo isso”, disse ele ao Epoch Times em 15 de fevereiro. “Embora eu acredite que a política não tem nada a ver com o policiamento, com certeza tem um efeito na fronteira”.

O presidente Joe Biden desfez várias medidas de segurança de fronteira que o governo Trump havia colocado em vigor, incluindo a suspensão temporária de deportações de estrangeiros ilegais, revertendo a proibição do presidente Donald Trump da chegada de pessoas de países propensos ao terror, interrompendo a construção de paredes de fronteira e emitindo um pacote de imigração abrangente ao Congresso, que inclui a anistia para milhões de imigrantes ilegais.

O xerife do condado de Cochise, Mark Dannels, em Sierra Vista, Arizona, em 5 de maio de 2019 (Charlotte Cuthbertson / The Epoch Times)

Biden também prometeu trazer 25.000 requerentes de asilo que estão esperando no México para que seu caso de imigração seja julgado sob o programa de Protocolos de Proteção ao Migrante (MPP).

“A visão do presidente é que a abordagem do governo anterior era imoral, mas também ineficaz em termos de enfrentar o desafio – os muitos desafios de um sistema de imigração desatualizado”, disse a secretário de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, em 16 de fevereiro.

No entanto, Dannels diz que “os melhores esforços de fronteira que já tivemos nas últimas três décadas no condado de Cochise foram nos últimos dois anos”.

“Tínhamos um presidente muito duro na fronteira, ninguém questionava isso. E agora temos um presidente que fará exatamente o oposto”, disse ele. “Eles estão rescindindo [ordens executivas] porque foi Trump quem foi o autor e ele esta sendo vingativo? Ou eles estão rescindindo porque não estava funcionando? Eu questionaria esses dois pensamentos”.

Dannels disse estar preocupado com a possibilidade de os xerifes da fronteira ficarem de fora durante o governo Biden. Ele faz parte do Conselho Consultivo de Segurança Interna e fez parte da equipe de transição de Biden para questões de fronteira. Ele estava otimista após a reunião inicial sobre colaboração e outras questões.

Mas ele disse que não foi incluído nas conversas sobre o impacto do fim do programa do MPP, que ele vê como uma das políticas mais eficazes.

“Estamos indo para o México durante uma pandemia de saúde e trazendo 25.000 pessoas. Não faz sentido. É hipócrita”, disse Dannels. “Ou estamos no meio de uma pandemia de saúde ou não. Alguém em Washington, DC, precisa tomar essa decisão”.

Agentes da Patrulha de Fronteira dos EUA prenderam dois grandes grupos de estrangeiros ilegais com uma distância de uma hora um do outro perto de Mission, Texas, em 4 de fevereiro de 2021 (Cortesia de US Customs and Border Protection)

A mensagem que os contrabandistas e cartéis estão recebendo é que a fronteira está “aberta para negócios” e “isso é o que me assusta”, disse Dannels. No mês passado, dois imigrantes ilegais morreram quando o veículo em que estavam capotou enquanto tentavam escapar da aplicação da lei. Outras quatro pessoas estavam no veículo.

“Precisamos ter uma fronteira segura. Os cartéis são os únicos a sorrir neste momento, porque vão beneficiar com esta confusão”, afirmou.

Ele espera que as medidas do novo governo não prejudiquem a colaboração com os agentes locais da Patrulha de Fronteira no condado de Cochise.

Mas com as novas políticas, ele disse que “não está otimista” de que uma crise na fronteira não surgirá de proporções semelhantes à que ocorreu em 2019. Quase 1 milhão de imigrantes ilegais ou inadmissíveis foram presos por agentes de fronteira ao longo da fronteira sul durante o ano fiscal de 2019.

“Teremos nossas mãos ocupadas [este ano]”, prevê Dannels.

“Já passamos por esse caminho antes. Por 37 anos, trabalhei nessa fronteira sul e vi diferentes lideranças chegarem a Washington, DC.  Eles trazem suas próprias ideologias, suas próprias políticas e, infelizmente, a política se torna a força motriz disso.”

“E o que acontece é que as comunidades locais são as que sofrem o impacto.”

 
Matérias Relacionadas