Wang Wei, ‘o Buda Poeta’

Wang Wei, conhecido como ‘o Buda Poeta’ (Catherine Chang/The Epoch Times)

Wang Wei (700-761 d.C.) foi um renomado poeta na Dinastia Tang, mas também um político respeitado por seu grande senso de justiça.

Criado unicamente por uma devota mãe budista, Wang Wei mostrou grande talento poético quando começou a escrever poemas aos nove anos. Com 21, ele foi o primeiro colocado na classificação do exame imperial e logo ganhou reputação entre o oficialismo e a nobreza.

Os talentos de Wang Wei não se limitavam à poesia, ele também era excelente calígrafo, músico e pintor. Ele escreveu numerosos poemas admiráveis sobre variados temas e seus poemas paisagísticos fazem referências  à pintura e à música. Gerações posteriores descreveram Wang Wei como um artista que “pintava poesias e compunha paisagens”.

Na história da China, Wang Wei é considerado o fundador do estilo que combina literatura e pintura. Desde então, a poesia e a caligrafia foram gradualmente integrados na pintura chinesa. O estilo prevalece até hoje e frequentemente podemos ver a poesia, a caligrafia e carimbos, todos integrados numa mesma pintura chinesa.

Uma história mostra o sentido de justiça de Wang Wei. Um dos irmãos do imperador tomou à força a esposa de um vendedor de pão e abrigou-a numa mansão como uma de suas amantes. Desde então, ela nunca mais falou ou sorriu e o príncipe não estava satisfeito. Num banquete em que Wang Wei estava presente, o príncipe disse à mulher: “Aposto que seu marido já se casou com outra e a esqueceu. Que tal se eu o fizer entregar pães para o banquete de hoje e então você poderá ver por si mesma.” Assim que o marido chegou, a mulher correu para ele e eles se olharam em lágrimas. Os convidados ficaram tocados, mas ninguém se atreveu a dizer nada por medo do príncipe. Wang Wei se levantou e improvisou um poema fazendo referência a um relato histórico em que a transgressão de quem estava no poder era criticada. Constrangido, o príncipe libertou o casal e culpou seus subordinados pela transgressão.

Pintura e poesia de Wang Wei

Em seus primeiros anos como oficial, Wang Wei se socializou com as elites ricas e poderosas. No entanto, após o falecimento de sua esposa, quando ele estava na casa dos trinta, ele gradualmente se retirou para uma vida solitária e se dedicou ao estudo do budismo. Ele nunca se casou novamente e viveu para a prática dos preceitos budistas. Seu cultivo espiritual se refletia em tudo, em seu ser, sua arte, pinturas e poesia, que estão repletas de natureza, calma, paz e contemplação, mas também cheias de vida. Ele fez muitos de seus melhores poemas neste período.

A realização mais notável de Wang Wei foi integrar o universo budista em obras artísticas e, por isso, ele é conhecido como “o Buda Poeta” na história chinesa.

‘Paisagem inspirada no velho mestre Wang Wei’, de Dong Qichang (1555-1636), no Museu Nelson-Atkins
Pintura de Wang Wei
“Neve sobre montanhas e rios”, de Wang Wei, reproduzido por Wang Shiming (1592-1680), no Museu do Palácio Nacional, Taiwan
“A Despedida”, de Wang Wei

Desmontando, eu ofereço uma taça de vinho ao amigo,
E pergunto para onde ele vai.
Ele diz que não alcançou seus objetivos,
E se retira para as montanhas do sul.
Agora vá, e não me pergunte mais nada,
Nuvens brancas que flutuarão no firmamento para sempre.
– Wang Wei, A Despedida (c. 750 a.C.)

Para conhecer outras figuras históricas da antiga China, clique aqui.

Epoch Times publica em 35 países em 21 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas