Walmart encerra parceria com Uber e Lyft para entrega de mercadorias

Decisão marca um fim abrupto para uma relação de negócios anunciada pelo Walmart e pelo Uber com grande publicidade há menos de dois anos atrás

Por Agência Reuters

A parceria do Walmart Inc. para a entrega de mercadorias através dos serviços de transporte Uber e Lyft chegou ao fim, conforme divulgado por duas fontes, em um possível revés para as ambições da varejista de competir com a Amazon.com Inc nas entregas rápidas em domicílio.

O fim do acordo, que foi confirmado pelo Walmart e Uber, compromete a visão promovida pelas empresas de transporte: um serviço que pode entregar de maneira eficiente qualquer coisa solicitada com apenas um toque em um aplicativo de smartphone.

“É extremamente difícil transportar pessoas e mercadorias juntas”, comentou uma fonte de uma empresa de entregas que trabalha com o Walmart e que tem conhecimento direto da situação. “São dois modelos de negócios completamente diferentes”, acrescentou.

A decisão marca um fim abrupto para uma relação de negócios anunciada pelo Walmart e pelo Uber com grande publicidade há menos de dois anos atrás. Na reunião de acionistas do Walmart em junho de 2016, o presidente executivo Doug McMillon falou sobre os investimentos da empresa em tecnologia e as parcerias para 14 mil funcionários.

Logo depois, foi lançado o serviço de entregas de supermercado do Uber, que se expandiu para quatro mercados. Até março, pouco antes do Uber colocar um fim ao acordo, o Walmart alegou que o Uber seria um sócios em seus planos para entregar mercadorias a mais de 40% do país.

“Claramente houve uma falha de comunicação”, comentou uma das fontes com conhecimento do fim da associação.

Depois de ser consultado pela Reuters, a porta-voz do Walmart, Molly Blaken, confirmou o fim da parceria, mas não detalhou as razões para a decisão, e disse que o Walmart vai usar outros provedores de serviços de entrega nos quatro mercados onde anteriormente havia usado o Uber.

“Os clientes não vão notar qualquer diferença enquanto a transição ocorre”, disse Blaken, que acrescentou que a parceria com a Lyft nunca se expandiu para além do mercado inicial de testes em Denver. A Lyft não quis comentar.

 
Matérias Relacionadas