Voluntários ajudam turistas chineses a renunciarem ao Partido Comunista Chinês

Quando os turistas chineses visitam pontos de interesse turístico na Europa, muitas vezes se deparam com voluntários do movimento de “Renúncia ao Partido Comunista Chinês”, também chamado “Tuidang” em chinês.

Os voluntários falam em chinês e lhes dão literatura para ajudá-los a compreender a natureza enganosa e corrupta do Partido Comunista Chinês (PCC). Para alguns turistas, a discussão às vezes pode ficar emocional.

Mesmo que seja inverno, o número de turistas chineses que visitam esses locais é significativamente maior do que nos anos anteriores, de acordo com os guias turísticos. Um guia turístico mencionou que os chineses do continente que pretendem visitar a França podem agora obter um visto em apenas dois dias.

Muitos turistas chineses agora falam abertamente e sem medo sobre os danos que o PCC têm feito à China. Quando dada a oportunidade de renúncia ao partido, a maioria dos turistas chineses decide renunciar a ele e às suas duas organizações afiliadas – a Liga da Juventude Comunista e os Jovens Pioneiros.

Como um ônibus cheio de turistas chineses chegou a uma atração em França, um voluntário Tuidang aproximou-se e entregou-lhes literatura sobre crimes do passado do PCC e sua perseguição atual do Falun Gong.

Quando o voluntário menciona a renúncia ao partido, os turistas tranquilos tornam-se animados.

“Extração de órgãos de praticantes do Falun Gong vivos?” Exclamou um turista chinês: “Como o PCC se atreve a fazer esse tipo de lucro!”

“Eu tenho que renunciar ao PCC, agora que sei como eles tratam o Falun Gong. Eu não poderia viver comigo mesmo se não o fizesse”, disse outro.

Turista: o PCC tem muito medo de mencionar os Nove Comentários em público

Um homem de Xangai discretamente pediu a um voluntário do Tuidang uma cópia dos Nove Comentários sobre o Partido Comunista.

“É o livro número um proibido na China”, disse o homem. “Quanto mais estritamente o PCC o proíbe, mais as pessoas querem lê-lo.”

O homem disse que o livro tinha sido secretamente proibido e que o PCC nunca mencionou seu título. Isso mostrou a ele que o livro estava certo e que o PCC é mau.

Um amigo dele veio e compartilhou a mesma opinião do regime comunista. Ambos os homens renunciaram ao Partido e às suas afiliadas com a ajuda do voluntário.

Secretário do Partido: eu renuncio!

Um voluntário conversou com um grupo de turistas sobre a natureza corrupta do PCC e sua perseguição ao Falun Gong. Enquanto ele falava, um turista avisou ao voluntário para parar de falar porque nas proximidades havia um oficial do Ministério da Segurança do Estado.

O voluntário respondeu que não havia ninguém seguro se não renunciasse do PCC.

Os turistas calmamente ouviram enquanto o voluntário continuou falando sobre a perseguição ao Falun Gong. Várias pessoas, em seguida, concordaram em renunciar ao Partido e às suas afiliadas. Em seguida, um homem que era um Secretário do Partido voltou-se para o voluntário e disse: “Você não precisa me dar panfletos. Guarde-o para outras pessoas. Vou renunciar agora.”

Guia turístico: por favor, ajude a todos os funcionários no meu grupo a renunciarem

Um guia turístico ouviu um voluntário e decidiu renunciar ao Partido. Ele então perguntou ao voluntário para ajudar o resto do seu grupo a renunciar: “Todas as pessoas no meu grupo são funcionários [do regime comunista chinês]. Alguns deles são pesos pesados. Por favor, ajude-os a renunciar.”

A maior parte do seu grupo usava ternos. Eles se recusaram a levar material informativo do voluntário, de modo que o voluntário decidiu caminhar com eles enquanto falava. Ele falou sobre vários funcionários que haviam participado ativamente na perseguição ao Falun Gong e se encontrara com terrível desgraça. O grupo de funcionários diminuiu a velocidade e ficou quieto. Eles cercaram o voluntário e ouviram-no com atenção. No final, nove dos dez homens renunciaram ao Partido.

Turistas se recusam a ouvir guia turístico resistente 

Um guia turístico não queria deixar o voluntário entregar materiais informativos para o seu grupo. O voluntário disse aos turistas que um pássaro azul iria dizer-lhes como evitar problemas e se manterem seguros na caótica sociedade chinesa. Vários dos turistas começaram a exclamar: “Dê-me um [panfleto]!”

Depois de um turista deu a literatura de volta para o voluntário, outro turista exclamou: “Não o devolva! Dê para mim. O que você tem medo? Por que não podemos lê-lo?” O guia turístico saiu rapidamente porque seu grupo insistiu em levar a literatura. Muitos deles rapidamente renunciaram ao Partido.

 
Matérias Relacionadas