Você acha que o Facebook é um fenômeno positivo ou negativo?

O Facebook tem atributos tanto positivos quanto negativos – uma grande ferramenta de comunicação, que também pode ser facilmente usada para intimidação. Esta é a opinião sobre o Facebook que pessoas compartilharam com repórteres do Epoch Times, da Colômbia a Suécia, quando eles perguntaram:

“Você acha que o Facebook é um fenômeno positivo ou negativo?”

Adriana Maria Zapata Betancur, 30 anos, professora - Medellín, Colombia
Adriana Maria Zapata Betancur, 30 anos, professora – Medellín, Colombia (Epoch Times)

O Facebook é uma ferramenta de comunicação. É importante porque você pode criar grupos de estudo e pesquisa, mas também como resultado do networking, você pode encontrar um monte de pessoas mal-intencionadas. Portanto, é aconselhável não compartilhar informações pessoais que as pessoas possam usar para criar problemas.

Kelly McMeans, 29 anos, administradora - Califórnia, EUA
Kelly McMeans, 29 anos, administradora – Califórnia, EUA (Epoch Times)

Coisas positivas sobre o Facebook seriam que se torna fácil se conectar com pessoas do passado com as quais você perdeu o contato, não importa o quão longe elas vivam, então eu acho que isso é realmente bom agora. No entanto, o lado negativo é que as pessoas podem ser realmente malvadas umas com as outras, e isso pode ser utilizado como uma via para encorajar o bullying.

Sabiha Nuzhat, 22 anos, estudante - Dubai, Emirados Árabes Unidos
Sabiha Nuzhat, 22 anos, estudante – Dubai, Emirados Árabes Unidos (Epoch Times)

 

De se conectar com amigos, compartilhar histórias de vida e eventos, até obter as últimas notícias sobre os acontecimentos ao redor do mundo, o Facebook tem provado o seu sucesso. Todos lendo isto é a prova viva de que o Facebook é um fenômeno positivo no século atual. Eu, pessoalmente, o acho muito informativo e atualizado sobre as coisas que acontecem nos quatro cantos do mundo, Mark (Zuckerberg) certamente fez um bom trabalho!

Francisco Brás, 53 anos, Cabeleireiro - São Mateus, Maranhão, Brasil
Francisco Brás, 53 anos, Cabeleireiro – São Mateus, Maranhão, Brasil (Epoch Times)

O Facebook me ajuda a entrar em contato com meus clientes e a agendar os horários. Ele também me ajuda a conhecer novas pessoas. A desvantagem é que ele expõe a minha privacidade a muitas pessoas.

Irene Flaemstrom, 72 anos, aposentada - Kagebo, Suécia
Irene Flaemstrom, 72 anos, aposentada – Kagebo, Suécia (Epoch Times)

Eu acho que é bom e ruim isso com o Facebook, mas ele pode ser divertido às vezes. A desvantagem é que qualquer um pode ler sobre sua vida pessoal. Pessoalmente, eu não o uso muitas vezes, mas eu vejo que os meus filhos e netos o usam com bastante frequência, e você pode ler sobre todas as suas vidas pessoais lá. Eles falam sobre as coisas que fazem e adicionam muitas fotos.

Kaye Ash, 45 anos, representante de vendas - Sunshine Coast, Austrália
Kaye Ash, 45 anos, representante de vendas – Sunshine Coast, Austrália (Epoch Times)

Eu acho que há um [lado] positivo e um negativo para o Facebook e provavelmente depende da pessoa que o usa, e como ela o usa. Eu acho que ele tem uma série de vantagens e desvantagens. Eu estava online na outra noite, e eu acho o Clube de Surf Marcoola tinha postado sobre um cara que estava correndo pela rua principal de Coolum com uma faca. Ele estava roubando carros, e [o post estava], alertando as pessoas. … Então, nesse sentido ele é bom; ele tem um alcance rápido na nossa área local. Mas há todo o bullying, e pessoas que não sabem lidar com isso, e fazem a coisa errada.

Giannis Milios, 43 anos, artista - Atenas, Grécia
Giannis Milios, 43 anos, artista – Atenas, Grécia (Epoch Times)

O Facebook é uma ferramenta e, como qualquer ferramenta, se usá-la do jeito certo, ela trará resultados positivos, se você usá-la de um jeito  ruim, ela trará um efeito negativo. Depende da forma como usamos algo.

Procure o Pergunta Global toda semana. Correspondentes do Epoch Times entrevistam pessoas de todo o mundo para aprender sobre suas vidas e perspectivas sobre a realidade local e global. A Pergunta Global da próxima semana: Como você acha que os governos deveriam lidar com as enormes dívidas?

 
Matérias Relacionadas