Visão da medicina chinesa sobre as artralgias causadas pelo frio

Muitas pessoas sofrem de dores articulares e musculares nos meses frios. O frio é considerado pela medicina chinesa um fator exógeno causador de desequilíbrios bioenergéticos. A natureza constritiva do frio irá manifestar-se no corpo através de vasoconstrição, rigidez muscular, dores fixas que melhoram com aplicação de calor e acentuam com a exposição ao frio.

Leia também:

Ótimo recurso para dores articulares: casca do ovo
Acupuntura provê maior alívio as dores crônicas, afirma pesquisa
Estudo comprova ação da acupuntura na modulção da dor feita

As afecções causadas pelo frio nocivo foram descritas pela primeira vez na matéria médica chinesa no clássico “Shang Han Lun”, escrito por Zhang Zhong-jing  aparecendo precisamente no ano 20o. A sua contribuição foi sistematizar um sistema de avaliação através de sinais e sintomas dos canais energéticos, descrevendo a sintomatologia bem como o tratamento apropriado para a enfermidade em cada etapa, considerando as possibilidades de evolução do quadro clínico. A base do seu tratamento é a fitoterapia.  A acupuntura e moxabustão são utilizadas de forma complementar.

Segundo o conhecimento tradicional, o frio é considerado um fator de natureza Yin que pode lesar o Yang do nosso organismo causando uma diminuição dos processos fisiológicos, bem como do transporte e transformação dos fluídos orgânicos e do sangue.

Quando o frio ataca a superfície do corpo ocorre vasoconstrição provocando dor na pele e na musculatura, principalmente da região dorsal alta e da nuca, outros sintomas incluem: febre acompanhada ou não de transpiração, pulso superficial e tenso, aumento do volume de urina (a cor da urina também mostra alteração tornando-se clara). Os canais energéticos bloqueados produzirão rigidez nos membros dificultando os movimentos de flexão e extensão. Quando o frio penetrar as sessões internas as manifestações ocorrerão ao nível dos órgãos e vísceras tais como: vômitos de líquidos claros, diarréia, dores abdominais, dismenorréias, edemas, acompanhado de pulso profundo e resistente.

O frio pode estar associado com outras energias climáticas como o vento e a umidade. Quando estiver associada com o vento, a principal manifestação é a dor migratória que aparece e desaparece em intervalos curtos, fazendo com que muitas pessoas sejam classificadas como psicossomáticas. Se o frio associar-se com a umidade, as manifestações serão fixas na forma de artralgias e dores musculares “surdas” que permanecem no mesmo local e que apresentam alívio com a aplicação de calor.

Quando o diagnóstico apontar um ataque de frio pode-se utilizar o fitoterápico patenteado “Wu Tou Tang”, que aquece os meridianos, dispersa o frio, elimina a umidade e cessa a dor. Se o principal fator for uma combinação de vento-frio, a fórmula “Fang Feng Tang”, expele o vento, o frio, relaxa os tendões e nutre o sangue. Se o fator causal for vento-umidade utilizar “Yi Yi Ren Tang”, para drenar a umidade, expelir o vento e mover o sangue. Na fase inicial dos sintomas deve-se expelir o fator patogênico através de drogas de natureza quente e sudorífica.

Os desequilíbrios energéticos provenientes de fatores externos que atacam o nosso organismo não são corrigidos através da medicação moderna que basicamente visa o alívio dos sintomas. Toda a alteração energética gera com o passar do tempo um prejuízo funcional, caso não seja corrigida nessa segunda etapa, o desequilíbrio energético naturalmente irá progredir para uma alteração morfológica e estrutural. Alterações articulares como doenças reumáticas, artríticas, que claramente apresentam alterações devido à variações climáticas, apontam para a presença de fatores latentes no organismo.

Abordagens como acupuntura, moxabustão e ventosaterapia podem ser utilizadas conjuntamente para expulsar o frio, mover a estagnação sanguínea provocada pela vasoconstrição e promover relaxamento muscular. Terapias manipulativas como a quiropraxia, osteopatia, seitai e tuiná podem ser utilizadas de forma associada para relaxar os tecidos moles e desbloquear os segmentos articulares hipomóveis.

Na fase final do tratamento quando não há mais presença de sintomatologia externa como dores musculares, articulares, febre e frio nas extremidades, o tratamento será direcionado a revigorar as condições internas tonificando os órgãos que estiverem astênicos.

Em casos onde a dor aparece subitamente nas articulações das extremidades produzindo dores reumáticas, tratam-se de quadros clínicos com disfunções internas associadas a ataques externos. Nesses casos o tratamento é mais complexo, pois é necessário tratar os órgãos e vísceras, desbloquear os canais energéticos, remover fatores patogênicos e revigorar a energia, os fluídos orgânicos e o sangue. Ou seja, torna-se necessário realizar mudanças alimentares, nos hábitos de vida e até mesmo na esfera psíquica.

O Suwen (clássico da medicina chinesa que aborda questões fundamentais) afirma que o inverno é um período de recolhimento, latência, hibernação. A maioria das coisas se fecham ou se ocultam para protegerem-se do frio. Nesse período devemos manter-nos em ambientes aquecidos, fazer uso moderado de especiarias amornantes e quentes em nossa alimentação. Para que a nossa energia Yang não seja perturbada, devemos ir cedo para a cama pela noite e levantar cedo para ter contato com a luz solar. Precisamos abrigar o espírito e mantê-lo em repouso. Não é uma estação propícia para agitação e dispersão. Devemos manter-nos aquecidos  suavemente e não devemos nessa época do ano transpirar muito, pois com a transpiração lesamos a nossa energia defensiva e nos tornamos suscetíveis a agressões externas.

O inverno deve ser vivido aproveitando as características do clima para favorecer a leitura, a introspecção, o repouso, e é claro sem necessitar deixar de lado as atividades físicas, porém o tipo de exercício, horário de prática e objetivos devem adaptar-se à natureza e não ao contrário. Na China e em outros países do oriente muitas atividades de cultivo interno são praticadas sem causar danos a nossa energia essencial nessa estação como: qigong, taijiquan, yoga, etc. Muitas artes marciais ortodoxas modificam o seu treinamento durante os meses frios, conservando assim a energia e preservando a saúde dos praticantes, preparando-os para um novo ciclo que terá início na primavera.

Nos meses frios, se ficarmos muito próximos a lareiras e aquecedores, iremos desenvolver acessos febris na primavera. Devemos utilizar o aquecimento com moderação. Se não nos adequarmos  ao modo de viver no inverno e não nos protegermos adequadamente do frio, na próxima estação sofreremos de flacidez muscular e friagem nas extremidades, dessa forma não teremos condições de prosperar fisicamente e o próximo ciclo anual será marcado pela insuficiência e debilidade.

Imagem via Shutterstock

 
Matérias Relacionadas