Publicado em - Atualizado em 11/09/2015 às 11:43

Veja alguns comentários que levaram centenas de chineses à prisão

Após explosões em Tianjin e turbulência no mercado de ações, as forças de segurança chinesas estão sobrecarregadas

As autoridades chinesas puniram recentemente cerca de 200 usuários de Internet por se expressarem online (Goh Chai Hin / AFP / Getty Images)

As autoridades chinesas puniram recentemente cerca de 200 usuários de Internet por se expressarem online (Goh Chai Hin / AFP / Getty Images)

No dia 31 de agosto, as autoridades chinesas anunciaram que puniram 197 pessoas responsáveis por “espalhar boatos” na Internet sobre a recente turbulência no mercado de ações e as explosões na cidade portuária de Tianjin. O número de pessoas que foram presas é desconhecido; sabe-se que 165 tiveram suas contas nas redes sociais encerradas.

Entretanto, não ficou claro o tipo de conteúdo que inspirou uma resposta tão dura por parte das autoridades. Uma reportagem da conhecida rede de televisão estatal chinesa, a China Central Television (CCTV), que incluía “screenshots” (capturas de tela), chamou a atenção uma vez que, preocupado, o apresentador da TV falou que os internautas “enfeitiçavam as pessoas”.

Ao pausar o vídeo e procurar os posts, foi possível reconstruir alguns dos itens que a CCTV destacou como conteúdo ofensivo. As postagens que puderam ser encontradas são mostradas a seguir.

Os usuários da Weibo (microblog criado na China, similar ao Twitter) foram contatados pelo Epoch Times, mas não responderam aos pedidos de informações.

Leia também:
Comentários ‘inadequados’ geram prisões em massa na China
Comércio da China em queda livre fortalece recessão econômica
Conheça história do trágico sistema de transplantes forçados de órgãos na China

Usuário “I Want to Cycle the Heart by Walking”

Depois do acidente em Tianjin, havia pessoas orando por todos os lados. Mas é possível que os mortos voltem à vida? Milhares de pessoas morreram, mas os meios de comunicação informaram apenas uma dúzia de mortes. Por que [as autoridades] não puderam ir atrás daqueles que foram responsáveis imediatamente após o acidente, mas em vez disso ficaram orando? Estes pobres trabalhadores, muitos deles foram mortos.

Usuário “lgftom”

O “crash” do mercado de ações deve estar relacionado com a força política, que não é conhecida por todos. Será que os tigres da elite corrupta, que foram fortemente afetados pela campanha anticorrupção, estão de braços cruzados esperando serem expulsos? Ao praticar a “venda a descoberto” das ações, eles queriam ver como a campanha anticorrupção continuaria com uma economia em colapso. Os cidadãos comuns se tornaram vítimas das lutas políticas internas. Enquanto se está investindo em ações, é preciso ser cauteloso para não se tornar um escudo [que suporta o impacto da perda nas ações].

Usuário “Daduzi”

A alta do mercado de ações é uma missão política na celebração do 70º aniversário da resistência contra o Japão. Nos quatro meses que restam do ano, as ações nunca irão superar a marca dos 4.200. As ações que irão subir incluem empresas do setor de bebidas alcoólicas, bancário, e-business e indústria militar. O negócio é visar as ações que estão relacionadas com os smartphones com 3D holográficos.

Usuário “Quantitative Trends Investment”

Muitas pessoas poderosas dentro e fora da China decidiram vender a descoberto as ações chinesas, um ato perigoso que poderia regredir a economia chinesa em 10 anos. O nível, desta vez, é ainda mais grave em comparação com o que aconteceu da última vez em Hong Kong. Essas pessoas poderosas utilizam o poder político para obter mais informação. Eles ficaram um passo a frente e, depois que fizerem dinheiro suficiente, vão forçar a China a abrir o seu mercado mais cedo do que foi planejado. Eles vão utilizar canais legítimos para sequestrar e enviar a fortuna dos últimos 10 anos [para o exterior].

Usuário “Lu Xin Ou Ni”

Haha, uma explosão enorme como esta, as pessoas que estavam próximas disseram que havia cadáveres e partes de corpos por todos os lugares. Um amigo da minha irmã mais velha, que trabalha no Hospital Tianjin, disse que havia mais [corpos] que o hospital poderia receber.  Um bairro inteiro se foi após a explosão e havia pelo menos alguns milhares de pessoas lá.  Os noticiários chineses estão realmente tentando abafar o impacto deste incidente, recusando-se a relatar o número real de mortes. Se você quer saber o número real de vítimas, deve assistir relatos da imprensa estrangeira. Os relatos dos noticiários chineses são simplesmente um absurdo.

Todo conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada. Para reproduzir a matéria, é necessário apenas dar crédito ao Epoch Times em Português e para o repórter da matéria.
Leia a diferença. Epoch Times Todos os direitos reservados © 2000-2016