Vale pretende dobrar exportações de minério para China até 2018

A Vale, maior produtora global de minério de ferro, pretende dobrar as exportações do produto para a China em cinco anos, disse nesta quinta-feira o diretor de Ferrosos e Estratégia da Vale, José Carlos Martins.

Leia também: Ponto de ruptura da bolha imobiliária da China se aproxima

Dessa forma, as vendas ao gigante asiático cresceriam de cerca de 150 milhões de toneladas/ano, em 2013, para 300 milhões de toneladas/ano em 2018. No mesmo período, a companhia prevê aumentar suas exportações totais de minério de ferro para 400 milhões de toneladas ao ano, ante um volume de cerca de 270 milhões de toneladas em 2013.

A partir desse cenário, que incluiu pesados investimentos na expansão da produção, principalmente em Carajás, no Pará, a mineradora já estuda a contratação de novos navios para suportar o escoamento da sua produção crescente. “É certo que, com aumento do volume exportado, nós vamos precisar contratar mais navios ou comprar, aquilo que for mais eficiente financeiramente”, afirmou Martins.

Durante o evento, o executivo afirmou que a Vale tem uma confiança “inabalável” na China, o principal comprador de seus produtos. Para ele, as importações de minério do país asiático têm excelente potencial de crescimento. Para balizar a sua confiança nessa tese, o executivo ressaltou que este ano, até agora, a produção chinesa de aço cresceu apenas 3%, enquanto a importação chinesa de minério de ferro cresceu 15%.

Ele explicou que isso mostra um deslocamento dos produtores de minério chineses que têm maiores custos. “A nossa decisão de aumentar a produção já está tomada, se a China crescer mais, será mais fácil de realizar”, disse o executivo. O executivo reiterou que a produção de minério de ferro da Vale, no primeiro semestre, ficou acima do esperado e frisou que a meta para o ano, de produzir 312 milhões de toneladas, está mantida.

Vide Versus

 
Matérias Relacionadas