USP lidera publicações Ibero-Americanas, segundo relatório

A Unicamp, Unesp e UFRJ estão entre as 10 primeiras no ranking
Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP ( Hamilton Breternitz Furtado/Wikimedia Commons)
Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP (Hamilton Breternitz Furtado/Wikimedia Commons)

A Universidade de São Paulo (USP) é a instituição de ensino superior com mais publicações científicas dentre os países ibero-americanos, segundo o relatório ‘Ranking Ibero-Americano SIR 2012’ do grupo de pesquisa Scimago.

A Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho (UNESP) e Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) estão classificadas entre as 10 primeiras em número de documentos científicos publicados.

O ranking é uma ferramenta de análise do desempenho da pesquisa de todas as instituições de ensino superior dos países ibero-americanos, na qual fazem parte a América Latina, Caribe, Espanha e Portugal.

Entre os anos de 2006 e 2010 a base Scopus, elaborada pela Elsevier, registrou 44.610 documentos científicos da USP. Em segunda posição, o relatório aponta a Universidad Nacional Autonoma de Mexico com 18.350 documentos. Em terceiro lugar, a Universidade Estadual de Campinas apresente 16.154. A UNESP aparece em quinto lugar com 15.047 publicações e a UFRJ em sexto, com 13.560 documentos científicos.

Em seu website, a USP anuncia que é responsável por cerca de 30% da produção científica brasileira.

O relatório SIR 2012 (Scimago Research Group) é a terceira edição que avaliou 1.401 instituições. Sua forma de análise inclui, não apenas o número de publicações, contido dentro do indicador ‘produção científica. Além desse, o relatório avalia outros três indicadores bibliométricos – colaboração internacional, qualidade científica relativa e ratio de excelência. Em geral, os indicadores revelam as dimensões mais relevantes da atividade de pesquisa realizada nas instituições de ensino superior.

Embora a quantidade de artigos publicados seja o foco de classificação, os outros indicadores são igualmente importantes. O indicador ‘colaboração internacional’ corresponde a elaboração dos artigos científicos feitos em conjunto com instituições internacionais. O indicador ‘qualidade científica relativa’ é o impacto da instituição após eliminada influência de tamanho e perfil temático da instituição, permitindo a comparação de universidades de diferentes tamanhos e pesquisa com diferentes perfis em relação a média mundial. O indicador ‘ratio de excelência’ avalia a revista em que foram publicados os documentos científicos.

Para visualizar o Ranking Ibero-Americano SIR 2012, clique aqui.

Epoch Times publica em 35 países em 19 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas