Uso do Facebook cai após política de censura

“Menos tempo no Facebook se traduz em menos oportunidades para as empresas atingirem os usuários da rede”

Por Fernanda Salles, Terça Livre

A política de censura implementada pelo Facebook reduziu o tempo dos usuários na principal rede social, de acordo com um estudo divulgado nesta terça-feira (28).

O tempo médio que os adultos americanos gastam no Facebook caiu 3 minutos por dia segundo a empresa de pesquisa eMarketer.

O relatório sugere que as iniciativas do CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, para se concentrar em “eliminar o conteúdo odioso” (entende-se como a prática de censurar conteúdo de cunho conservador/cristão), pode ter um forte impacto econômico.

“A contínua perda do Facebook de usuários adultos jovens, juntamente com sua política de desestimular os artigos e vídeos clickbait em favor daqueles que geram tempo bem aproveitado, resultou numa queda do tempo passado nesta plataforma em 2018 que já era esperada”, declarou a analista do eMarketer Debra Aho Williamson.

“Menos tempo no Facebook se traduz em menos oportunidades para as empresas atingirem os usuários da rede”, acrescentou.

Já o Instagram, de propriedade do Facebook, continua ganhando presença: a eMarketer espera que o tempo consumido nessa plataforma de fotos e vídeos suba um minuto este ano para 27 minutos, e então um minuto por ano até 2021.

“Os stories, conteúdo de influenciadores e vídeos contribuem para uma maior interação e uma recuperação lenta, mas constante, do tempo gasto no Instagram”, disse Williamson.

Além disso, o tempo que os americanos gastam no Snapchat, rival do Instagram, parou em 26 minutos por dia, depois que um novo design do aplicativo não conseguiu aumentar as visitas dos usuários, de acordo com a eMarketer.

Em um nível mais amplo, o tempo que os americanos passam nas redes sociais deve permanecer o mesmo este ano, em quase uma hora e 14 minutos por dia, de acordo com a eMarketer.

Com informações da AFP

 
Matérias Relacionadas