Uerj retoma aulas após três meses de paralisação

A Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) reiniciou ontem (10) suas atividades acadêmicas, depois de quase 4 meses de interrupção. A decisão foi tomada em reunião feita na última sexta-feira (7) entre a reitoria e o Fórum de Diretores das Unidades Acadêmicas. Também voltarão às aulas os estudantes do Colégio de Aplicação da Uerj (Cap-Uerj). As aulas correspondem ainda ao segundo semestre de 2016. O reitor Ruy Garcia Marques esclareceu: “Voltamos por respeito aos alunos e à sociedade”.

“Na realidade teríamos que retornar no dia 17 de janeiro, porém, a situação estava impraticável. Todos os campus se encontravam sujos, sem manutenção e outros fatores. Porém, nesses três meses de negociação muita coisa evoluiu. Hoje o campus Maracanã, por exemplo, está limpo, com os elevadores funcionando, ainda que não na sua totalidade, e outros avanços. É preciso ressaltar que isso é o mínimo. Falta muitíssima coisa para se fazer,” declarou.

Leia também:
Michel Temer considera vetar regras anti-Uber se passarem no Senado
Temer flexibiliza reforma da Previdência para que passe na Câmara
Aneel estabelece bandeira vermelha nas contas de luz até fim do ano

Há 17 anos na Uerj, o professor de Física Vitor Lemes reconheceu que esta crise é a pior desde que entrou para a instituição. Ele também relacionou os problemas que professores enfrentam dentro da universidade e não demonstrou muita confiança com a volta. “Estamos sem o décimo terceiro salário, três meses atrasados com perspectiva de serem quatro. Vários professores e funcionários sem condição nenhuma de virem trabalhar, e as instalações sem condições de nos receber.”

Ao mencionar as dificuldades em sala de aula, o professor disse que “falta papel, tinta e impressora, por exemplo, para aplicar uma prova. Como recomeçaremos desse jeito? Eu não sei a resposta. A situação é ridícula e a chance de greve acaba sendo muito grande por conta disso.”

 
Matérias Relacionadas