Twitter suspende permanentemente Alex Berenson devido a tweets virais sobre COVID-19

Por Jack Phillips

O Twitter suspendeu permanentemente o ex-jornalista e autor do New York Times Alex Berenson, um crítico declarado das ordens e bloqueios relacionados ao vírus do PCC – bem como da censura da Big Tech.

“A conta que você referenciou foi permanentemente suspensa por violações repetidas de nossas regras de desinformação do COVID-19 ”, disse um porta-voz do Twitter a meios de comunicação em 28 de agosto.

Berenson, em sua página Substack, também confirmou a suspensão, escrevendo : “Adeus, Twitter.”

“Este foi o tweet que causou isso”, escreveu ele, referindo-se a um tweet agora excluído que minimizou a eficácia das vacinas COVID-19. “Totalmente preciso. Mal posso esperar para ouvir o que um júri vai achar disso. Enquanto isso, acho que você receberá mais Substacks. ”

Berenson observou mais tarde que a proibição não o surpreendeu.

“Eu esperava que esse dia estivesse chegando”, escreveu ele  . “E o Twitter não pode tocar no meu Substack (na verdade, ele tentou comprar o Substack no ano passado, mas o Substack felizmente disse que não).”

Berenson também sugeriu a possibilidade de abrir um processo contra o Twitter por causa da suspensão.

Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) e outras agências de saúde disseram que as vacinas COVID-19 “são seguras e eficazes” após os testes clínicos e dizem que os efeitos colaterais são raros. A diretora do CDC, Dra. Rochelle Walenksy e outros citaram estudos dizendo que as vacinas não previnem necessariamente a transmissão de COVID-19, mas afirmaram que as injeções limitam a gravidade da doença.

Berenson trabalhou para o The New York Times de 1999 a 2010 antes de se tornar um autor em tempo integral.

Em julho, o Dr. Anthony Fauci, um dos conselheiros do COVID-19 do presidente Joe Biden, criticou Berenson por seu discurso na Conferência de Ação Política Conservadora.

“É horrível. … Eu simplesmente não entendo. Quero dizer, e não acho que alguém que esteja pensando com clareza possa entender isso ”, disse ele sobre a resposta da multidão ao discurso de Berenson.

Antes de sua suspensão, Berenson costumava citar os resultados de um estudo pré-impresso israelense que descobriu que a infecção anterior por COVID-19 oferece melhor proteção contra a variante Delta do que qualquer uma das vacinas COVID-19.

“Os vacinados sem o SARS-CoV-2 tiveram um risco 13,06 vezes maior de infecção com a variante Delta em comparação com aqueles previamente infectados, quando o primeiro evento (infecção ou vacinação) ocorreu durante janeiro e fevereiro de 2021”, diz o estudo .

SARS-CoV-2 é outro nome para o vírus do PCC.

Aqueles que foram vacinados, o estudo descobriu, também corriam um risco maior de serem hospitalizados em comparação com pessoas que foram previamente infectadas.

Berenson também atacou o que descreveu como censura da Big Tech, escrevendo para o The Wall Street Journal em dezembro que a pandemia inaugurou uma “nova era de censura e repressão”.

“As informações nunca foram mais abundantes ou fáceis de distribuir. No entanto, estamos deslizando para uma nova era de censura e supressão, incentivados por gigantes da tecnologia e empresas de mídia tradicionais. Como alguém que foi falsamente caracterizado como um ‘negador do coronavírus’, ‘eu vi essa crise em primeira mão ”, escreveu ele, com a Amazon supostamente por duas vezes bloqueando a publicação de seu livro.

Entre para nosso canal do Telegram

Siga o Epoch Times no Gettr

Veja também:

 

 
Matérias Relacionadas