Turquia deportará centenas de imigrantes ilegais do Afeganistão que entraram pelo Irã

Eles pediram asilo às autoridades alegando "atividades terroristas em curso e problemas econômicos" em seu país

Por Anastasia Gubin, Epoch Times

Autoridades turcas afirmaram que quase 600 refugiados afegãos ilegais que entraram em seu país estes dias serão deportados, conforme divulgado pela agência Press TV.

Da mesma forma que os migrantes de Honduras e El Salvador atravessam ilegalmente o México para entrar nos Estados Unidos, os afegãos fazem isso através do Irã e da Turquia e depois tentam entrar na Europa.

No total, 591 refugiados afegãos que chegaram à Turquia Oriental através do Irã serão mandados de volta por avião até Cabul, anunciou no sábado (7) o Ministério do Interior da Turquia, segundo a agência Press TV.

Eles pediram asilo às autoridades alegando “atividades terroristas em curso e problemas econômicos” em seu país. Eles estavam com status de refugiados na província oriental de Erzurum.

“Depois de completar os procedimentos de deportação para imigrantes ilegais em outras de nossas províncias, as deportações irão acelerar e continuarão nos próximos dias”, disse o comunicado.

Nos últimos meses milhares de refugiados afegãos cruzaram a Turquia, muitos deles caminharam por dias a partir da fronteira para chegar a Erzurum, afirmou a Agência Reuters.

Aqueles que conseguem atravessar a Turquia seguem caminho até a Europa. Em fevereiro, a União Europeia recebeu cerca de 45.908 pedidos de proteção internacional, dos quais o Afeganistão contribuiu com 17% de todas as solicitações, depois da Síria e seguido pelo Iraque, Nigéria e Paquistão.

Onze por cento dos solicitantes eram recorrentes, ou seja, já tinham feito o pedido no passado, informou o Departamento Europeu de Apoio ao Asilo.

Os Estados Unidos derrubaram o líder terrorista do regime Talibã no Afeganistão há cerca de 17 anos. Milhares de soldados das Forças Armadas estrangeiras têm ajudado o país a manter os guerrilheiros sob controle, no entanto, de acordo com um levantamento apresentado pela Press TV, os militantes talibãs estão ativos em dois terços do país e controlam cerca de 4% do território oriental. Seu histórico de terrorismo data não de décadas, mas de vários séculos atrás.

 
Matérias Relacionadas