Turista fica paraplégica na Tailândia após acidente em mergulho

Sophie Wilson, 24, de Leicestershire, ficou na Tailândia por seis meses e mergulhou em uma piscina na cidade de Pai

De Jack Phillips

Uma turista britânica que estava “mochilando” na Tailândia pode ter ficado paraplégica depois de lesionar o pescoço em mergulho.

Sophie Wilson, 24, de Leicestershire, ficou na Tailândia por seis meses e mergulhou em uma piscina na cidade de Pai, localizada na parte norte do país, mas ela calculou mal a profundidade e sofreu um acidente, de acordo com agência de notícias iNews do Reino Unido. Ela foi resgatada da água e levada para um hospital e não conseguia sentir suas pernas.

Wilson precisa conseguir US$ 75.000 para voar de volta ao Reino Unido, caso contrário, ela ficará presa em um hospital na Tailândia, segundo o relatório.

Sua família disse que talvez ela nunca mais volte a andar, mas que passou por duas cirurgias bem-sucedidas e progrediu, afirmou o relatório da iNews. Wilson é capaz de respirar sozinha e pode mover um braço, mas ela não sente seus membros inferiores.

Suas despesas médicas totalizam cerca de US$ 45.000 e o vôo para sua casa custará outros US$ 30.000, o que levou sua família a iniciar um GoFundMe.

Wilson havia contratado um seguro de viagem, mas a empresa teria se recusado a pagar pelas despesas porque seus ferimentos foram causados por um “ato imprudente”, alegou sua família.

“É de partir o coração já que eu sempre tive um estilo de vida muito ativo e a dúvida sobre se poderei andar novamente é difícil de aceitar”, disse ela ao iNews. “Mas acredito que ser negativa só aumentará a dificuldade da situação. Tenho sorte de ainda estar aqui.”

Posted by Sophie Freya Wilson on Saturday, May 19, 2018

A sua família disse que o pescoço dela havia sido lesionado em duas áreas.

“A notícia chegou incompleta para nós, mas avisava que Sophie havia lesionado o pescoço na C6 e C7, e que isso tinha deixado sua medula espinal comprimida. Isso significa que estamos atualmente sem quaisquer certezas, nesta fase, se Sophie poderá andar novamente”, conforme a página da GoFundMe. “Na chegada, John e Jane foram informados que Sophie tinha sorte de estar viva, já que no estágio crítico que ela chegou, a sua pressão poderia ter caído a níveis perigosamente baixos.”

Ela disse que passou cerca de 10 horas em cirurgia na Tailândia.

E a razão na qual a passagem de volta para casa seja tão cara, de acordo com a página, é porque ela precisa de cuidados especializados. “Envolverá o constante cuidado e atenção de um médico e duas enfermeiras durante a viagem de volta da Tailândia, devido à gravidade dos ferimentos da Sophie”, conforme descrição da página de angariação de fundos.

“Nosso desejo agora é levá-la para casa assim que for fisicamente possível para que ela possa começar seu programa de reabilitação que ajudará no processo de sua recuperação e, principalmente, para que ela se reúna com sua família amorosa e enfrentar juntos o momento mais desafiador de nossas vidas”, De acordo com a página de angariação de fundos.

Como a página explicou, a companhia de seguros “nos informou que eles não cobririam os custos das operações, qualquer cuidado que ela precisasse deste ponto em diante, ou o mais importante para nós, levá-la para casa no Reino Unido… Consequentemente, isso deixou a nossa família confrontada com a perspectiva de arcar com tais custos”.

 
Matérias Relacionadas