Trump: “sou a melhor coisa que aconteceu a Porto Rico”

Presidente defendeu o trabalho de seu governo na ilha após a passagem do furacão Maria

Por Voice of America

O presidente Donald Trump disse que ele é “a melhor coisa que já aconteceu a Porto Rico”, ao renovar suas críticas a autoridades do território americano na segunda-feira (22), enquanto dezenas de milhares de pessoas marcharam na ilha para pedir a renúncia do governador Ricardo Roselló.

Trump, que fez o comentário na Casa Branca na segunda-feira no Salão Oval durante uma visita do primeiro-ministro paquistanês, Imran Khan, não respondeu diretamente quando perguntado se Roselló deveria renunciar, mas o descreveu como “um péssimo governador”.

O presidente dirigiu a maioria de suas críticas à prefeita de San Juan, Carmen Yulín Cruz, que frequentemente zomba dele e que reclamou da resposta federal ao furacão Maria de 2017.

Trump a descreveu como “um show de horrores” e “totalmente incompetente”.

“Olha, ele é um péssimo governador. Mas acho que ainda pior é a prefeita de San Juan. Ela é horrível. Eu acho horrível. Eu a observei, meu povo não fez nada além de reclamar dela quando os ajudamos com o problema do furacão. A prefeita de San Juan Puerto Rico é um show de horrores. Ela é incompetente, totalmente incompetente”, disse o presidente.

O presidente americano disse que o Congresso deu a Porto Rico bilhões de dólares para se recuperar do furacão e queixou-se de que o território está “nas mãos de pessoas incompetentes e muito corruptas”.

Trump defendeu o trabalho de seu governo na ilha após a passagem do furacão Maria, dizendo: “Fizemos um ótimo trabalho em Porto Rico. Eles não gostam de me dar crédito, mas fizemos um ótimo trabalho. Eu tenho muitos amigos porto-riquenhos. Eu entendo muito bem Porto Rico”, disse ele.

Milhares protestam em Porto Rico

Caminhão transporta o cantor Ricky Martin, o rapper Residente e o rapper Bad Bunny (da esq. para dir.) se juntam a milhares de pessoas que enchem a rodovia Expreso Las Américas para pedir a renúncia do governador Ricardo A. Rosselló em 22 de julho 2019 em San Juan, Porto Rico (Joe Raedle / Getty Images)
Caminhão transporta o cantor Ricky Martin, o rapper Residente e o rapper Bad Bunny (da esq. para dir.) se juntam a milhares de pessoas que enchem a rodovia Expreso Las Américas para pedir a renúncia do governador Ricardo A. Rosselló em 22 de julho 2019 em San Juan, Porto Rico (Joe Raedle / Getty Images)

No entanto, em San Juan, capital de Porto Rico, dezenas de milhares de pessoas se voltaram para uma rodovia central na ilha, no que poderia ser o maior protesto no território em quase duas décadas.

Apesar do calor intenso, a multidão de crianças, adolescentes, profissionais e idosos encheu a American Expressway na segunda-feira, agitou grandes e pequenas bandeiras e exigiu a saída de Roselló.

A manifestação ocorre 10 dias após o vazamento de 889 páginas de conversas de um chat do governador com autoridades e pessoas próximas a seu governo, onde com palavras obscenas insultam mulheres e personagens da ilha e zombam dos eleitores, inclusive das vítimas do Furacão Maria.

O vazamento provocou fúria no território dos Estados Unidos, devido à persistente corrupção do governo e à má administração dos dois principais partidos políticos de Porto Rico, além de uma grave crise da dívida, uma economia enfraquecida e a lenta recuperação do estrago causado pelo furacão em setembro de 2017, que devastou a ilha.

O governador, que renunciou ao cargo de líder de seu partido político, ofereceu desculpas, prometeu não buscar a reeleição, mas resiste a renunciar.

 
Matérias Relacionadas