Trump pretende se reunir com Kim Jong Un para abordar desnuclearização

Por Zachary Stieber

O presidente Donald Trump disse que pretende se reunir em breve com Kim Jong Un, da Coreia do Norte, para discutir a desnuclearização do país asiático.

Trump disse que o ditador enviou uma carta que inclui um pedido de desculpas pelos recentes testes de mísseis da Coreia do Norte, além de queixas sobre os exercícios militares conjuntos mantidos pela Coreia do Sul e pelos Estados Unidos.

O teste iria parar quando os exercícios parassem, escreveu Kim .

“Em uma carta para mim enviada por Kim Jong Un, ele declarou, muito gentilmente, que gostaria de se encontrar e começar as negociações assim que o exercício conjunto Estados Unidos /Coreia do Sul terminar”, disse Trump no Twitter em 10 de agosto.

“Foi uma longa carta, em sua maior parte,  reclamando dos exercícios ridículos e caros. Também foi um pequeno pedido de desculpas por testar os mísseis de curto alcance, e que esses testes parariam quando os exercícios terminassem. Estou ansioso para ver Kim Jong Un em um futuro não muito distante! Uma Coreia do Norte livre de armas nucleares à condurirá a um dos países mais bem sucedidos do mundo!”

Trump disse aos repórteres na sexta-feira que recebeu uma carta de Kim de três páginas entregues em mãos no dia anterior, chamando-a de “uma carta muito positiva”.

“Foi uma ótima carta. Ele falou sobre o que ele está fazendo. Ele não está feliz com o teste. É um teste muito pequeno que fizemos. Mas ele não ficou feliz com o teste; ele colocou isso na carta. Mas ele também vê um grande futuro para a Coreia do Norte. E assim veremos como tudo funciona”, disse o presidente, observando que ele não divulgaria o conteúdo exato da carta no momento.

“Foi entregue em mãos e não foi tocado por ninguém. Eles literalmente a levaram da Coreia do Norte para o meu escritório. Nós temos um sistema. É um sistema antigo. Você não precisa se preocupar com vazamentos. Algo legal sobre esse sistema”, acrescentou ele.

Trump minimizou os testes com mísseis, dizendo que eles não eram nucleares.

O presidente Donald Trump fala à imprensa, no gramado sul da Casa Branca, antes de partir para Washington em 9 de agosto de 2019 (Nicholas Kamm / AFP / Getty Images)

Enquanto isso, repito: não houve testes nucleares. Os testes de mísseis foram todos de curto alcance. Nenhum teste de míssil balístico. Não há mísseis de longo alcance”, disse ele.

Trump citou o progresso entre os países, incluindo o fato da Coreia do Norte ter retornado três reféns americanos e começado a devolver alguns dos restos mortais das tropas americanas que morreram durante a Guerra da Coreia. Ele disse que gostaria de encerrar os “jogos de guerra” mantidos pela Coreia do Sul e pelos Estados Unidos, citando seu custo.

Trump, que se tornou o primeiro presidente dos Estados Unidos a entrar na Coreia do Norte em 30 de junho, reagiu depois que a Coreia do Norte lançou mísseis balísticos de curto alcance no mar, em 25 de julho, tendo sido o primeiro lançamento de armas em mais de dois meses.

O país disparou mais dois mísseis no mar em 31 de julho.

“Os repetidos lançamentos de mísseis do norte não ajudam os esforços para aliviar as tensões na península coreana, e pedimos que a Coreia do Norte pare com esse tipo de comportamento”, disse a Coreia do Sul em um comunicado.

 

Siga Zachary no Twitter: @ zackstieber

 
Matérias Relacionadas