Trump promete a Trudeau abordar caso de canadenses detidos com líder chinês no G20

Por Margaret Wollensak, The Epoch Times

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que vai abordar o caso de dois canadenses atualmente detidos na China com o Partido Comunista, Xi Jinping, na cúpula do G20 na semana que vem.

Trump ofereceu seu apoio em uma reunião com o primeiro-ministro Justin Trudeau, no Salão Oval, na quinta-feira, uma semana antes dele e Xi se encontrarem no G20 no Japão, onde Trump tem uma reunião comercial programada com o líder chinês. Trudeau não conseguiu agendar uma reunião com o próprio Xi.

“Nós temos uma reunião com o Presidente Xi e é obviamente a grande transação sobre a qual estamos falando e negociando. Nosso povo está falando agora. Veremos o que acontece, mas qualquer coisa que eu puder fazer para ajudar o Canadá eu estarei fazendo”, disse Trump a repórteres, segundo a Canadian Press.

Quando perguntado novamente, Trump respondeu: “Eu faria. A pedido de Justin, eu realmente vou falar sobre isso ”, informou a Reuters.

President Donald Trump meets with Canadian Prime Minister Justin Trudeau in the Oval Office of the White House on June 20, 2019. (AP Photo/Evan Vucci)
O Presidente Donald Trump em encontro com o Primeiro Ministro Justin Trudeau no Salão Oval da Casa Branca em 20 de junho de 2019  (AP Photo / Evan Vucci)


Os dois canadenses, o ex-diplomata Michael Kovrig e o empresário Michael Spavor, foram detidos na China pouco depois da prisão da executiva da Huawei, Meng Wanzhou, por um mandado de extradição dos Estados Unidos. As relações entre os dois países azedaram desde então.

Já se passaram mais de seis meses desde que Kovrig, que trabalha para um think tank internacional, e Spavor, que trabalhou extensivamente na Coreia do Norte, foram detidos, e as autoridades chinesas recentemente cobraram oficialmente a coleta de segredos de Estado.

O Canadá condenou repetidamente a “prisão arbitrária” dos homens e pediu que Pequim os libertasse imediatamente. Nenhum deles teve acesso a advogados ou familiares e os funcionários consulares só podem visitá-los uma vez por mês.

As detenções são amplamente vistas como retaliação de Pequim pela detenção de Meng, no Canadá, em dezembro passado, que é procurada pelas autoridades dos Estados Unidos por acusações de fraude. Eles alegam que Meng deturpou o relacionamento da Huawei com os bancos dos Estados Unidos com uma empresa que faz negócios no Irã, levando a transações que foram contra as sanções dos Estados Unidos contra o Irã. Meng nega as acusações.

Ela está atualmente sob fiança em Vancouver, enquanto os procedimentos de extradição se movem através do tribunal.

Canadians Michael Spavor (L) and Michael Kovrig
Os canadenses Michael Spavor (esq) e Michael Kovrig foram detidos na China desde que o Canadá prendeu o diretor financeiro da Huawei, Meng Wanzhou, em Vancouver, em dezembro de 2018 (AP Photo)

 


Trudeau e Trump também discutiram as relações comerciais e econômicas, com os dois líderes buscando avançar com o acordo Estados Unidos-México-Canadá (USMCA) através de suas respectivas legislaturas. Ambos os países ainda não ratificaram o acordo, enquanto o México anunciou na quarta-feira que o fez.

Trudeau disse na quarta-feira que espera que o acordo passe pelo Congresso dos Estados Unidos antes de ser colocado em votação na Câmara dos Comuns.

“Vamos garantir que estamos em sintonia com eles, temos a capacidade de lembrar o Parlamento se for necessário”, disse ele. “Também nos certificaremos de que estamos monitorando o ritmo em que os americanos estão ratificando.”

Ambos os líderes expressaram otimismo em persuadir os membros democratas na Câmara dos Representantes, particularmente a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, a iniciar o processo de ratificação.

Trudeau se encontrou com Pelosi depois de sua visita à Casa Branca. Falando no Capitólio, Pelosi disse que anseia por uma “discussão animada” sobre as questões de segurança global e as relações econômicas entre os dois países, particularmente em relação ao comércio.

“O Canadá é nosso vizinho de confiança, nosso relacionamento é caloroso e é uma honra novamente ter a visita do primeiro-ministro”, disse ela.

Prime Minister Justin Trudeau meets with Nancy Pelosi, Speaker of the United States House of Representatives, on Capitol Hill in Washington, D.C. on June 20, 2019. (The Canadian Press/Sean Kilpatrick)
Primeiro Ministro Justin Trudeau com Nancy Pelosi, Presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, no Capitólio de Washington, D.C., em 20 de junho de 2019 (The Canadian Press / Sean Kilpatrick)

 


Falando a repórteres em Washington, Trudeau disse que outros elementos do comércio também foram discutidos, incluindo os impostos norte-americanos sobre madeira serrada canadense e a importância do Canadá como fornecedor estável de urânio. Eles também discutiram o comércio transfronteiriço e os dois líderes anunciaram sua intenção de ratificar um novo acordo de pré-liberação neste verão, que incluiria viagens terrestres, ferroviárias, marítimas e aéreas, bem como o pré-desembaraço para cargas.

Trudeau disse que ele e Trump expressaram suas preocupações sobre a crise opioide e o tráfico de drogas em ambos os países, e concordaram em trabalhar em conjunto para encontrar soluções, inclusive através do diálogo sobre drogas na América do Norte e organizações multilaterais, além de maior cooperação policial.

Os líderes se reunirão novamente na próxima semana na cúpula do G20, onde continuarão os tópicos de conversação de sua reunião na Casa Branca, de acordo com um comunicado de imprensa do Gabinete do Primeiro Ministro.

Com arquivos da Canadian Press.

 
Matérias Relacionadas