Trump manifesta total apoio a governo argentino: “Confio na liderança do presidente Macri”, afirmou

"Confio na liderança do presidente Macri e o apoio grandemente em seu compromisso com o FMI"

Por Jesús de León, Epoch Times

Os líderes de ambos os países tiveram uma conversa por telefone na qual o presidente norte-americano manifestou pleno apoio à administração do presidente argentino.

“Esta manhã conversei com o presidente da Argentina, Mauricio Macri, e reafirmei o forte apoio dos Estados Unidos à Argentina durante este momento difícil para o país”, disse o presidente Trump em uma declaração emitida pela Casa Branca.

Mauricio Macri e Donald Trump conversaram ontem (4) por telefone durante aproximadamente 15 minutos, em um momento em que são feitas negociações entre o ministro da Economia argentino, Nicolás Dujovne, e o Fundo Monetário Internacional (FMI).

“Confio na liderança do presidente Macri e o apoio grandemente em seu compromisso com o FMI para fortalecer as políticas financeiras e monetárias da Argentina a fim de impulsionar os seus atuais desafios econômicos”, disse Trump.

Nesse contexto, o republicano argumentou que o presidente argentino “está fazendo um excelente trabalho frente a essa situação econômica e financeira muito difícil” que atravessa a Argentina, e enfatizou que a Argentina “é um parceiro estratégico histórico dos Estados Unidos e um importante aliado extra Otan”.

Presidente Mauricio Macri (esq.) da Argentina fala durante almoço com o presidente norte-americano Donald Trump na sala do Gabinete da Casa Branca em 27 de abril de 2017, em Washington, DC. (Olivier Douliery-Pool/Getty Images)
Presidente Mauricio Macri (esq.) da Argentina fala durante almoço com o presidente norte-americano Donald Trump na sala do Gabinete da Casa Branca em 27 de abril de 2017, em Washington, DC. (Olivier Douliery-Pool/Getty Images)

De acordo com a mídia Argentina, durante o telefonema Macri deu detalhes da situação que atravessa o país e da reunião que o ministro Dujovne vai manter em Washington para renegociar o acordo com o Fundo Monetário Internacional. De acordo com a mídia, Trump estava “bem informado” sobre os problemas econômicos da Argentina.

Após a conversa entre Macri e Trump, Dujovne se reuniu com o secretário do Tesouro dos Estados Unidos. A reunião com Steven Mnuchi ocorreu no Tesouro norte-americano e horas antes de ver Christine Lagarde do FMI.

As expectativas da Argentina frente ao FMI nestas negociações são de fechar um acordo complementar ao já existente, o que possibilitará ao país fechar seu programa financeiro para que não haja necessidade de, daqui até 2020, contrair mais dívidas; essa é a notícia que o mercado está esperando e que “vai ajudar o país a sair deste momento difícil e deste clima de incerteza”, disse o ministro do Interior argentino, Rogelio Frigerio, depois de uma reunião de gabinete ontem de manhã.

O site de notícias argentino Infobae disse que na mesma linha da mensagem de Trump, Dujovne recebeu expressões semelhantes de Steven Mnuchin e também de David Malpass, subsecretário de Assuntos Internacionais do Tesouro, com quem o ministro se reuniu logo após chegar à cidade.

Diretora-geral do Fundo Monetário Internacional, Christine Lagarde (esq.), se reúne com o ministro da Economia argentino, Nicolás Dujovne (dir.), em 10 de maio de 2018 na sede do FMI, em Washington, DC. (Stephen Jaffe/FMI/Getty Images)
Diretora-geral do Fundo Monetário Internacional, Christine Lagarde (esq.), se reúne com o ministro da Economia argentino, Nicolás Dujovne (dir.), em 10 de maio de 2018 na sede do FMI, em Washington, DC. (Stephen Jaffe/FMI/Getty Images)

“O governo espera acalmar assim a volatilidade do mercado de câmbio e garantir sua capacidade de pagamento até 2020”, informou Infobae.

 
Matérias Relacionadas