Trump leva sucesso dos EUA a Davos para Fórum Econômico Mundial

O presidente norte-americano Donald Trump chegou a Davos, na Suíça, na manhã de 25 de janeiro, onde ele ficará dois dias para participar do Fórum Econômico Mundial.

Antes de partir para a Suíça, Trump escreveu no Twitter que estava planejando “dizer ao mundo o quão bem a América está indo”.

“Nossa economia está crescendo e, com tudo o que eu estou fazendo, só vai melhorar… Nosso país está finalmente GANHANDO de novo!”, disse Trump.

Leia também:
• Anistia para 1,8 milhão: Casa Branca publica plano de imigração
• EUA: memorando do Congresso revela tentativa de golpe contra Trump
• Trump se empenha em reconstruir infraestrutura dos EUA

No seu primeiro dia em Davos, Trump se encontrou com a primeira-ministra britânica Theresa May, bem como com o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu. Ele também se reuniu com o fundador e presidente-executivo do Fórum Econômico Mundial, Klaus Schwab. À noite, Trump jantou com líderes empresariais europeus.

Antes de partir para Davos, Gary Cohn, o principal assessor econômico do presidente Trump, disse num comunicado de imprensa que “Nós queremos que o mundo invista na América e crie empregos para os americanos trabalhadores.”

“A agenda econômica do presidente Trump desencadeou a economia dos EUA e estamos crescendo”, disse Cohn.

Desde que Trump chegou ao cargo no ano passado, o desemprego caiu para o menor número desde 2000, e o crescimento do PIB (produto interno bruto) é de 3%, uma marca que alguns economistas consideravam impossível. Com a aprovação da lei de reforma tributária deste mês, o crescimento econômico deverá acelerar ainda mais.

EUA, Trump, Davos, Fórum Econômico Mundial - O presidente norte-americano Donald Trump cumprimenta o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu durante uma reunião bilateral em paralelo ao encontro anual do Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça, em 25 de janeiro de 2018 (Nicholas Kamm/AFP/Getty Images)
O presidente norte-americano Donald Trump cumprimenta o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu durante uma reunião bilateral em paralelo ao encontro anual do Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça, em 25 de janeiro de 2018 (Nicholas Kamm/AFP/Getty Images)

O mercado de ações adicionou mais de US$ 5 trilhões em valor apenas no ano passado.

“No Fórum Econômico Mundial, reiteraremos o compromisso da América com o crescimento e a prosperidade econômica doméstica e global, fortalecemos os laços estreitos com outros líderes mundiais e catalisamos o apoio comercial internacional para a agenda do presidente”, disse Cohn.

Ele também comentou que Trump diria aos outros líderes mundiais que “uma América próspera beneficia o mundo”.

“Quando os Estados Unidos crescem, o mesmo acontece com o mundo.”

O conselheiro de segurança nacional H.R. McMaster disse no comunicado que Trump também discutirá questões de segurança nacional, incluindo esforços para desnuclearizar a Coreia do Norte e a luta contra o grupo terrorista Estado Islâmico.

Na sexta-feira, espera-se que Trump se encontre com Paul Kagame, presidente de Ruanda e atual presidente da União Africana, “para reafirmar o relacionamento EUA-África e discutir prioridades compartilhadas, incluindo comércio e segurança”.

O presidente Trump é acompanhado na viagem por Rex Tillerson, o secretário de Estado, além de McMaster, Cohn e outros funcionários seniores da Casa Branca. O chefe do Estado Maior da Casa Branca, o general John Kelly, permaneceu em Washington, enquanto a Casa Branca trabalha no plano de imigração que será lançado na segunda-feira.

Leia também:
• New York Times aparece no topo da lista do presidente Trump sobre Notícias Falsas
• EUA: altos funcionários do FBI discutem ‘sociedade secreta’ trabalhando contra Trump
• EUA: Perspectiva econômica é excelente
• Burocracia estatal: imposto oculto sobre crescimento
• EUA: Trump divulga quedas recordes nas taxas de desemprego
• EUA: Adeus neutralidade da rede, olá competição
• A reforma tributária corporativa nos EUA e seu efeito dominó internacional
• Maioria dos economistas concorda: Trump está impulsionando mercado, crescimento e emprego

 
Matérias Relacionadas