Trump: EUA não fecharão diante da segunda onda de vírus do PCC

Por Jack Phillips

O presidente Donald Trump disse na quinta-feira que os Estados Unidos não fecharão se houver outra onda da COVID-19.

“As pessoas dizem que é uma possibilidade muito distinta. É padrão. E vamos apagar o incêndio”, disse Trump a repórteres quando estava em turnê em uma fábrica da Ford em Michigan. Ele foi questionado sobre se ele está preocupado com uma segunda onda do vírus.

Mas Trump acrescentou uma ressalva, dizendo que “não vamos fechar o país” e “vamos apagar o fogo”.

Trump expressou confiança nos Estados Unidos para conter futuros surtos de vírus do PCC (Partido Comunista Chinês).

“Seja uma brasa ou uma chama, vamos apagar. Mas não estamos fechando nosso país”, afirmou o presidente.

Atualmente, os dados mostram que mais de 90.000 pessoas nos Estados Unidos morreram do vírus até agora. A partir de março, vários governadores impuseram bloqueios rigorosos, levando a demissões e fechamento de negócios.

Trump fez observações enquanto visitava a fábrica da Ford, que atualmente produz respiradores em resposta à pandemia.

Porém, no mês passado, todos os 50 estados iniciaram algum nível de reabertura, incluindo Nova Iorque, o estado com mais mortes por COVID-19.

Pessoas fazem fila para obter seus kits de cuidados contendo muitos itens difíceis de encontrar, incluindo máscaras, suprimentos sanitários, itens de cuidados pessoais e materiais educacionais na Lynn Technical High School em Lynn, Massachusetts, em 16 de maio de 2020 (Joseph Prezioso / AFP via Getty Images)
Pessoas fazem fila para obter seus kits de cuidados contendo muitos itens difíceis de encontrar, incluindo máscaras, suprimentos sanitários, itens de cuidados pessoais e materiais educacionais na Lynn Technical High School em Lynn, Massachusetts, em 16 de maio de 2020 (Joseph Prezioso / AFP via Getty Images)

O número de americanos que solicitam benefícios de desemprego nos dois meses desde que o coronavírus se instalou nos Estados Unidos aumentou para quase 39 milhões, informou o governo na quinta-feira, mesmo quando os estados de costa a costa reabrem gradualmente suas economias e deixam as pessoas voltarem para o trabalho. Mais de 2,4 milhões de pessoas entraram com pedido de desemprego na semana passada, na última onda de demissões devido às paralisações de negócios que deixaram a economia de joelhos, disse o Departamento do Trabalho.

Isso eleva o total atual para impressionantes 38,6 milhões, um colapso no mercado de trabalho sem precedentes em sua velocidade.

O número de solicitações semanais diminuiu por sete semanas seguidas. No entanto, os números permanecem incrivelmente altos – 10 vezes mais altos do que o normal antes da crise.

E o aumento contínuo mostra que, embora todos os estados tenham começado a reabrir nas últimas três semanas, o emprego ainda não foi recuperado e o surto ainda está prejudicando as empresas e destruindo empregos.

A Associated Press contribuiu para esta reportagem.

Notícias apartidárias e independentes

O Epoch Times é apartidário e baseado em valores. Acreditamos que o verdadeiro jornalismo se baseia em princípios morais. Focamos em questões importantes, políticas e seu impacto, não partidarismo. Não seguimos a tendência antiética do jornalismo orientado a agendas, mas, em vez disso, usamos nossos princípios de Verdade e Tradição como nossa luz guia para reportar honestamente.

Estamos trabalhando dia e noite para cobrir o surto de vírus do PCC para você. Doar tão pouco quanto uma xícara de café ajudará a manter nossa mídia em funcionamento.

Ajude-nos agora doando um ‘CAFÉ’ para a equipe.

Veja também:

O Método do PCC

 
Matérias Relacionadas