Trump diz que Rússia está ajudando Coreia do Norte a contornar sanções

O presidente estadunidense Donald Trump disse na quarta-feira, 17 de janeiro, que a Rússia está ajudando a Coreia do Norte a obter suprimentos em violação às sanções internacionais e que Pyongyang está “cada vez mais perto” de poder enviar um míssil de longo alcance que possa atingir os Estados Unidos.

“A Rússia não está nos ajudando com a Coreia do Norte”, disse Trump no Salão Oval durante uma entrevista com a Reuters. “No que a China está nos ajudando, a Rússia está prejudicando. Em outras palavras, a Rússia está neutralizando o que a China está fazendo.”

Enquanto a Coreia do Norte persiste como o principal desafio global enfrentado por Trump este ano, o presidente lançou dúvidas durante a entrevista de 53 minutos sobre se conversas com o ditador comunista Kim Jong-un seriam úteis. No passado, ele não descartou ter conversas diretas com Kim Jong-un.

Leia também:
• EUA posicionam bombardeiros B-2 próximos à Coreia do Norte
• Coreia do Norte: imagens de satélite revelam atividade em local de testes nucleares
• Se for à Coreia do Norte, “faça um testamento e designe herdeiros”, adverte governo americano

Ele se recusou a comentar quando perguntado se ele esteve envolvido em qualquer comunicação com Kim Jong-un, com quem ele trocou insultos e ameaças.

“Eu me sentaria [com ele], mas não tenho certeza de que me sentar [com ele] resolverá o problema”, disse Trump, observando que as negociações passadas com os norte-coreanos realizadas por seus predecessores não conseguiram controlar os programas nuclear e de mísseis da Coreia do Norte.

“Não tenho certeza de que as negociações conduzam a algo significativo. Eles conversaram por 25 anos e se aproveitaram dos nossos presidentes, dos nossos presidentes anteriores”, afirmou Trump.

Trump elogiou a China por seus esforços para restringir o fornecimento de petróleo e carvão à Coreia do Norte, mas disse que Pequim poderia fazer muito mais para ajudar a restringir Pyongyang.

No entanto, ele disse que a Rússia parece estar preenchendo as lacunas deixadas pelos chineses.

Fontes de segurança da Europa Ocidental disseram à Reuters no final de dezembro que os petroleiros russos haviam fornecido combustível para a Coreia do Norte em pelo menos três ocasiões nos últimos meses ao transferir cargas em alto mar em violação às sanções internacionais. A Rússia negou a violação das sanções à Coreia do Norte.

A Coreia do Norte depende do combustível importado para manter sua economia em dificuldades em funcionamento. A nação comunista também requer petróleo para os seus programas de míssil balístico intercontinental (ICBM) e nuclear.

Trump criticou repetidamente uma investigação dos EUA sobre se a Rússia interferiu na eleição presidencial de 2016 por dificultar uma melhoria nas relações entre os EUA e a Rússia.

“Ele pode fazer muito”, disse Trump sobre o presidente russo Vladimir Putin. “Mas, infelizmente, não temos muito relacionamento com a Rússia e, em alguns casos, é provável que o que a China subtraia, a Rússia dê. Portanto, o resultado líquido não é tão bom quanto poderia ser.”

Trump, que tem lidado com testes nucleares e lançamentos de mísseis balísticos pela Coreia do Norte desde que assumiu o cargo há um ano, disse que Pyongyang está gradualmente avançando para poder lançar um míssil que alcance os Estados Unidos.

“Eles ainda não chegaram lá, mas estão perto. E eles se aproximam todos os dias”, disse Trump.

A Coreia do Norte disse que, após o último lançamento do ICBM em novembro, o teste colocou o continente americano ao seu alcance. Alguns especialistas concordaram que, com base na trajetória do míssil e na distância, ele teria a capacidade de voar até Washington, D.C., a capital dos EUA.

Eles disseram, no entanto, que a Coreia do Norte ainda não ofereceu qualquer prova de que dominou todos os obstáculos técnicos, incluindo o desenvolvimento de um veículo de reentrada necessário para enviar uma ogiva nuclear pesada confiável num ICBM, mas era provável que conseguisse isso em breve. Pyongyang poderia alcançar esse marco até o final do ano, disseram algumas autoridades da inteligência.

Trump disse que dava as boas-vindas às conversas entre a Coreia do Norte e a Coreia do Sul durante as Olimpíadas de Inverno que serão realizadas no Sul no próximo mês e acrescentou que esta poderia ser uma fase inicial para ajudar a dirimir a crise.

Trump não disse se os Estados Unidos consideravam um ataque limitado e preventivo para mostrar à Coreia do Norte que os EUA estão falando sério.

“Estamos jogando um jogo de poker muito, muito difícil e você não quer revelar sua mão”, disse ele.

Leia também:
• Conversas com Coreia do Norte são uma farsa, dizem especialistas
• Trate Kim Jong-un como um criminoso para consertar problema da Coreia do Norte, diz especialista
• Agência da Coreia do Norte levanta dinheiro para ‘fundo revolucionário’ do ditador
• Descoberto plano de Kim Jong-un para matar familiares de membros da embaixada dos EUA no Peru

 
Matérias Relacionadas