Trump culpa regime chinês pela pandemia: “O mundo está pagando um preço muito alto”

Por Jack Phillips

O presidente Donald Trump sugeriu que o regime chinês seja o culpado pela pandemia viral que agora se espalhou para mais de 150 países ao redor do mundo.

“Ele poderia ter sido detido exatamente de onde veio, China”, disse Trump durante uma entrevista coletiva na Casa Branca na quinta-feira, 19 de março. “O mundo está pagando um preço enorme pelo que fizeram”, acrescentou, respondendo a uma pergunta sobre oficiais do Partido Comunista Chinês que não compartilharam informações no momento em que o surto começou.

“Teria sido muito melhor se soubéssemos disso alguns meses antes”, disse o presidente, acrescentando que as autoridades americanas poderiam ter agido mais rapidamente se o regime tivesse compartilhado informações sobre o vírus do PCC, que surgiu em Wuhan.

O Epoch Times refere-se ao novo coronavírus, que causa a doença COVID-19, como o vírus do PCC (Partido Comunista Chinês) porque o encobrimento e a má administração do PCC permitiram que ele se espalhasse por toda a China e desencadeasse uma pandemia global.

Um repórter perguntou ao presidente sobre o fato de o regime não estar relatando novos casos do vírus, cujo surto começou no ano passado.

“Espero que seja verdade”, disse Trump antes da crítica, “mas quem sabe?”

Trabalhadores se preparam para desinfetar os quartos do hospital da Cruz Vermelha em Wuhan, China, em 18 de março de 2020 (STR / AFP via Getty Images)
Trabalhadores se preparam para desinfetar os quartos do hospital da Cruz Vermelha em Wuhan, China, em 18 de março de 2020 (STR / AFP via Getty Images)

Quando o surto na China começou, vários cidadãos, jornalistas, ativistas de direitos humanos e mídias sociais acusaram o regime de encobrir o número de casos e mortes. Um vídeo perturbador, no auge do surto, mostrou o que pareciam ser oficiais do PCC sequestrando e trancando pessoas dentro de suas casas.

A raiva generalizada foi desencadeada no início de fevereiro, quando um médico chinês morreu tentando alertar o público sobre o surto viral. Segundo o anúncio, Li Wenliang morreu após contrair o coronavírus durante o tratamento de pacientes em Wuhan.

Autoridades disseram a Li para “parar de fazer comentários falsos” e foram investigadas por “espalhar boatos”, informou a BBC. O pai dela disse que ele não estava espalhando boatos.

A Human Rights Watch, em um relatório de 12 de março, criticou o regime chinês e a Organização Mundial da Saúde por participarem da censura.

“Se a liberdade de expressão existisse na China, sites de redes globais como o Facebook e o Twitter, bem como as plataformas de internet chinesas, seriam inundados com pedidos desesperados de ajuda e histórias comoventes de morte e doença publicadas por pessoas que vivem sob quarentena. Além disso, quando você vê em suas próprias redes sociais como ocorre um grande sofrimento como resultado dessas medidas “rápidas”, você pode pensar de maneira diferente”, afirmou a organização.

 
Matérias Relacionadas