Trump cria ‘Gabinete do Ex-Presidente’ para promover os interesses dos EUA e continuar sua agenda

Por Mimi Nguyen Ly

Donald Trump abriu um “Gabinete do Ex-Presidente” na segunda-feira que visa promover os interesses dos Estados Unidos e levar adiante a agenda de sua administração.

Uma declaração do escritório no Condado de Palm Beach, Flórida, diz: “Hoje, o 45º Presidente dos Estados Unidos, Donald J. Trump, abriu formalmente o Gabinete do Ex-Presidente”.

“O Escritório será responsável por administrar a correspondência, declarações públicas, aparições e atividades oficiais do presidente Trump para promover os interesses dos Estados Unidos e levar adiante a agenda da administração Trump por meio de defesa, organização e ativismo público.

“O presidente Trump será sempre e para sempre um campeão do povo americano”.

O então presidente Donald Trump sai do Salão Oval para sua saída da Casa Branca em Washington, em 16 de setembro de 2019 (Mandel Ngan / AFP via Getty Images)
O então presidente Donald Trump sai do Salão Oval para sua saída da Casa Branca em Washington, em 16 de setembro de 2019 (Mandel Ngan / AFP via Getty Images)

Tem havido muitas perguntas sobre se ou como Trump vai se envolver na política após deixar o cargo. Trump fez seu primeiro movimento político depois de deixar a Casa Branca em 22 de janeiro, quando em um telefonema endossou Kelli Ward, que mais tarde foi reeleita como presidente do Partido Republicano do Arizona.

Trump também divulgou um comunicado na segunda-feira endossando sua ex-secretária de imprensa, Sarah Huckabee Sanders, em sua campanha para governadora do Arkansas.

O anúncio do “Gabinete do Ex-Presidente” ocorre pouco antes de a Câmara dos Representantes entregar uma acusação de impeachment ao Senado na segunda-feira. A acusação de “incitamento à insurreição” afirma que Trump foi responsável por incitar uma insurreição que resultou em distúrbios no Capitólio dos Estados Unidos em 6 de janeiro.

Embora Trump tenha deixado o cargo em 20 de janeiro, os líderes do Senado estão determinados a seguir em frente. Se condenado, os senadores podem optar por desqualificar o ex-presidente de ocupar o cargo novamente.

Alguns democratas também estão  considerando usar a 14ª Emenda da Constituição para impedi-lo de ocupar o cargo.

 
Matérias Relacionadas