Trump apela aos americanos para que ajudem a garantir uma transição pacífica: “SEM Violência” e “sem violação da Lei”

Alguns esquerdistas e meios de comunicação estão tentando criar uma narrativa de que o apoio da equipe de Trump à integridade eleitoral está apoiando a "violência" e o "desdém pela Constituição"

Por Jack Phillips

O presidente Donald Trump pediu na quarta-feira que todos os americanos não se envolvessem em nenhuma manifestação violenta, vandalismo ou violação da lei antes da posse em 20 de janeiro.

“À luz dos relatos de mais manifestações, exorto que NÃO deve haver violência, NÃO violação da lei e NÃO vandalismo de qualquer tipo”, disse Trump. “Não é isso que eu defendo e não é o que os Estados Unidos representam. Apelo a TODOS os americanos para ajudar a aliviar as tensões e acalmar os ânimos. Obrigado.”

O Epoch Times entrou em contato com a Casa Branca para comentar. A declaração de Trump sairá como um e-mail da assessoria de imprensa da Casa Branca e a Casa Branca postará a declaração por meio das contas de mídia social do presidente. O relatório também citou um assessor dizendo que o presidente deseja que as Big Techs ajudem a disseminar sua mensagem de não violência.

Isso aconteceu depois que o presidente foi suspenso do Facebook, Instagram, Twitter, YouTube e outras plataformas de tecnologia.

Outros republicanos e substitutos de Trump pediram nenhuma violência após a violação do Capitólio dos EUA.

A presidente do Comitê Nacional Republicano, Ronna McDaniel, afirmou na quarta-feira que “a violência não tem lugar em nossa política. Ponto final.”

“Eu condenei totalmente os atos de violência sem sentido da semana passada, e reitero veementemente os apelos para permanecermos pacíficos nas próximas semanas”, observou McDaniel. “Aqueles que participaram do ataque ao Capitólio de nossa nação e aqueles que continuam a ameaçar com violência devem ser encontrados, responsabilizados e processados ​​em toda a extensão da lei.”

Ela acrescentou: “Deixe-me ser claro: qualquer pessoa com más intenções não é bem-vinda em Washington, D.C. ou em qualquer outra capital do estado. A transição pacífica de poder é um dos princípios fundamentais de nossa nação e é necessária para que nosso país avance.”

A violação ocorreu durante a Sessão Conjunta do Congresso, em 6 de janeiro, enquanto os membros contavam para certificar os resultados da eleição de 3 de novembro. Críticos disseram que Trump incitou à violência com sua retórica durante um discurso aos apoiadores, levando os democratas da Câmara a apresentarem artigos de impeachment nesta semana. Uma votação sobre o impeachment está marcada para o final desta semana, embora não esteja claro quando o Senado poderá aceitá-la.

McDaniel observou que “agora é a hora de nos unirmos como uma nação, unidos na busca pacífica de nosso propósito democrático comum”.

A advogada de Trump, Jenna Ellis, disse que “é possível (e correto) apoiar a integridade eleitoral, a Constituição e a liberdade de expressão e também condenar a violência”, acrescentando: “Somos uma nação sob o Estado de Direito”.

Ellis observou que alguns esquerdistas e meios de comunicação estão tentando criar uma narrativa de que o apoio da equipe de Trump à integridade eleitoral está apoiando a “violência” e o “desdém pela Constituição”.

“Alguns na esquerda estão tentando construir uma falsa narrativa de que o apoio à Constituição está condenando a integridade eleitoral”, observou Ellis.

Entre para nosso grupo do Telegram.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas