Três ações necessárias para que a China alcance o desenvolvimento

Antes de verificar o que a China precisa fazer para avançar no desenvolvimento, vamos nos concentrar no que o país enfrentará durante o processo de se tornar um país desenvolvido.

“Deixando de lado alguns países exportadores de petróleo e as cidades-Estado de Hong Kong e Cingapura, apenas três países – Japão, Coreia do Sul e Taiwan – alcançaram um PIB per capita de pelo menos 70% da média obtida por países desenvolvidos nos últimos 60 anos. China espera fazer o mesmo, mas enfrenta um desafio diferente: seu enorme tamanho”, escreve Adair Turner, presidente do Novo Pensamento Econômico.

Turner identificou três coisas que a China teria de fazer para se tornar um país desenvolvido:

Leia também:
Nove Comentários sobre o Partido Comunista Chinês
Para empresas europeias, fazer negócios na China já não é tão confiável
China só se tornará superpotência industrial quando seus produtos forem confiáveis

1. Deixar de centrar-se nas exportações

Turner acredita que os mercados externos são muito pequenos para absorver a produção de 1,5 bilhão de pessoas. E, apesar de esforços como a nova Rota da Seda e dos projetos para a construção de infraestrutura parecerem adequados, no final, não poderão resolver este problema.

O bilionário fundador do grupo Alibaba[1], Jack Ma, declarou: “Eu acho que durante os próximos 20 anos, a China deve se concentrar na importação. Eles devem aprender a comprar. Eles devem gastar dinheiro.”

2. Controlar suas dívidas

Dívidas insustentáveis usadas para pagar custos de infraestrutura ou com qualquer outra finalidade, devem ser centralizadas ou canceladas.

Evan Lorenz, do Observatório de Taxa de Juros de Grant, explica: “Parece que houve um grande acúmulo de empréstimos e ativos inadimplentes, então vai levar algum tempo para que a economia possa absorvê-los.”

3. Aumentar os salários

“A boa notícia é que os salários já estão crescendo mais rapidamente do que o PIB – tendência que provavelmente permanecerá -, já que as alterações demográficas restringem o fornecimento de nova mão de obra. Durante a próxima década, o número de chineses com idades entre 15 e 30 anos diminuirá em quase 25 %”, escreve Turner.

Turner acredita que, no futuro, o povo chinês terá de produzir e consumir sua própria produção. Nenhum outro país é grande o suficiente para isso.

[1]Alibaba Group é um grupo de empresas com sede em Hangzhou, China, de propriedade privada baseada em e-commerce na internet, incluindo sites online de business-to-business, serviços de varejo e pagamento online, um motor de busca para compras e serviços de computação na nuvem centrados em dados. Seu fundador, Jack Ma, é o maior investidor individual do Grupo. Com 9% das ações, transformou o site num colosso mundial, maior que as potências americanas HP e eBay. Hoje, com 250 milhões de compradores ativos na China, é responsável por 60% do volume de entregas no país.

 
Matérias Relacionadas