Tortura aplicada pelo governo comunista chinês: usar pessoas como pano de chão

Um dos muitos métodos de tortura usados pelo Partido Comunista Chinês em praticantes de Falun Gong, uma prática chinesa de cultivo do corpo e da mente cujos adeptos são perseguidos pelo regime chinês desde 1999, é arrastá-los para “esfregar o chão”. Às vezes, os guardas usam as roupas dos praticantes para limpar o chão do banheiro e, em seguida, fazem-nos usar a roupa imunda de urina.

Limpando o sangue do chão

No Presídio Feminino de Shandong, a detenta Zhu Huifen deu um soco na sra. Lin Jianping, acertando a sua orelha direita. A orelha sangrou na hora e, por isso, ela não conseguia escutar direito. A detenta Zhu Huifen também agarrou seus cabelos e bateu a cabeça de Jianping contra o canto de uma mesa. A sra. Jianping vomitou sangue, que encharcou a própria camisa e o sutiã.

As detentas Zhu Huifen e Qiu Xiuxin então arrastaram a sra. Jianping para frente e para trás, como um esfregão limpando o chão. Elas esfregaram ainda mais a bagunça sangrenta com algumas peças de roupas limpas da sra. Jianping.

Leia também:
Guardas e prisioneiros torturam praticantes do Falun Gong na Prisão de Xangai
Chinesa é brutalmente torturada em campo de trabalhos forçados
Polícia assedia família de praticante do Falun Gong torturado até à morte

Secando o chão do banheiro

No Campo de Trabalho Forçado de Handan, o sr. Wang Zhiwu escreveu “Falun Dafa é bom. Verdade-Compaixão-Tolerância é bom” e outras mensagens na parede de sua cela solitária. Um guarda sentinela deu-lhe um soco no rosto com tanta força que dois de seus dentes foram arrancados.

Os guardas espancaram o sr. Wang até ele cair no chão, e atacaram-no implacavelmente com cassetetes elétricos por todo o corpo. Então, o guarda Xing Yansheng arrastou o sr. Wang até o banheiro e lá arrastou-o no chão preto de sujeira e encharcado de urina, como se estivesse usando um rodo com pano de chão.

Como se isso não bastasse, o guarda Xing Yansheng pisou na cabeça do sr. Wang, segurando-o com o pé contra o chão para que ele não pudesse se mover. Após uma parte do banheiro estar quente e seca, Xing e os outros guardas arrastaram o sr. Wang para “aquecer” outra área do chão do banheiro imundo. Os guardas repetiram essa ação várias vezes até ficarem cansados.

Forçando um praticante a usar roupas encharcadas de urina

Durante sua detenção em 2008 no Campo Feminino de Trabalho Forçado nº 2, proibiram a sra. Cao Yixiang de usar o banheiro, já que ela se recusou a renunciar à sua fé no Falun Gong.

A sra. Cao eventualmente não suportou mais e urinou nas próprias calças. As detentas Jiang Lixia e Lin Dandan a espancaram e, em seguida, agarraram seus pés e seus braços e arrastaram-na, como se escovando o chão coberto de urina.

Cinco dias depois, elas repetiram o que haviam feito antes. A detenta Jiang Lixia tirou a blusa de Cao e usou-a para limpar a urina e, então, forçou a sra. Cao a colocar a blusa novamente. Jiang também golpeou os olhos e o rosto da sra. Cao com a cabeça de um esfregão. Quando a sra. Cao tentou se desviar, elas a derrubaram e pisaram em sua mão. A sra. Cao foi atingida com tanta força que caiu e rolou pelo chão, mas o guarda de plantão fez vista grossa.

Reencenação de tortura: arrastado pelo pé (Minghui.org)
Reencenação de tortura: arrastado pelo pé (Minghui.org)

Outros exemplos de praticantes sendo usados como panos de chão

Numa sessão de lavagem cerebral no condado de Wei, província de Hebei, em agosto de 2001:

A vice-diretora da Agência 610, Chen Shuqin, do município de Chenjiawa, empurrou as praticantes Zhou Cuimei e Xin Shuzhen e espancou-as. Em seguida, Chen Shuqin e outros funcionários molharam o chão e arrastaram as duas praticantes pelas mãos e pelos pés para limpá-lo. Elas usaram os corpos das sras. Zhou Cuimei e Xin Shuzhen para limpar o chão. Elas também deixaram as duas praticantes nuas da cintura para cima e usaram as roupas que tiraram delas para limpar uma mesa.

As praticantes mal podiam respirar após passarem por tudo isso, mas, mesmo assim, simplesmente foram levadas de volta aos seus quartos, sem qualquer assistência médica.

No Campo Feminino de Trabalho Forçado de Chongqing, em janeiro de 2010:

As detentas Chen Zhi e Chen Tingting forçaram a praticante Yue Chunhua a ficar contra a parede à medida em que elas derramavam água na sua boca, nariz e ouvidos e para baixo de seu pescoço. Elas a espancaram e a chutavam ao mesmo tempo em que derramavam a água, tudo conforme as instruções da guarda penitenciária líder Tao Xin.

A detenta Chen Zhi, que pesava mais de 90 quilos, montou na sra. Yue enquanto ela estava no chão, a espancou enquanto estava montada nela, retirou as meias e enfiou-as dentro da vagina dela. Chen também deixou a sra. Yue completamente nua e escreveu palavras difamatórias contra o Falun Gong no corpo dela.

Várias presidiárias jogaram água no chão e usaram o corpo da sra. Yue como um esfregão até que o chão estivesse seco.

 
Matérias Relacionadas