Todos os olhos se voltam para o Fed à medida que investidores procuram sinais de corte de taxas

Por Emel Akan

WASHINGTON – Os investidores, em busca de sinais de corte nas taxas de juros, aguardarão ansiosamente o presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, enquanto ele realiza dois dias de depoimentos no Capitólio, a partir de 10 de julho.

O mercado acionário dos Estados Unidos se recuperou durante grande parte de junho com as expectativas crescentes de corte de juros do banco central. O índice S & P 500 subiu 7% em junho, registrando seu melhor junho em décadas.

No entanto, as ações caíram desde 5 de julho em relação aos máximos históricos, após a divulgação de dados de empregos sólidos, o que diminuiu as esperanças de um corte nas taxas em julho.

Powell está programado para depor sobre as perspectivas econômicas e as recentes ações de política monetária no Senado e na Câmara, e os comerciantes esperam obter mais clareza sobre o plano do Fed sobre sua taxa de referência.

Powell sinalizou em junho, pela primeira vez, a abertura para cortar as taxas de juros, dizendo que o banco central estava monitorando de perto os riscos relacionados às tensões comerciais e “agiria de forma apropriada para sustentar a expansão”.

A economia dos Estados Unidos atingiu recentemente 10 anos de expansão econômica, o período mais longo desde 1854.

Expectativas de mercado

O Fed anunciará sua decisão sobre as taxas de juros na conclusão da reunião de dois dias do Comitê Federal de Mercado Aberto, em 31 de julho.

Os traders agora estão precificando uma chance de 100% de um corte de taxa até o final deste mês, de acordo com a ferramenta CME FedWatch. Quase 96% dos traders esperam que o Fed reduza a taxa em 25 pontos-base em julho e os 4% restantes esperam um corte de 50 pontos-base.

De acordo com o Citi, um corte na taxa de juros é agora menos provável, dados os sólidos dados de emprego e o alívio das tensões comerciais entre os Estados Unidos e a China após a cúpula do G-20.

“As autoridades do Fed têm apenas duas semanas até o próximo ‘período de blecaute’ para mudar as expectativas do mercado quanto a cortes nas taxas”, disse Andrew Hollenhorst, analista do Citi em um relatório. “O testemunho congressional do Presidente Powell assume maior importância neste contexto.”

A economia dos Estados Unidos adicionou 224.000 empregos em junho, superando as expectativas. No entanto, Hollenhorst observou que a desaceleração adicional no índice de fabricação ISM prospectivo aumenta a chance de um corte em julho ou no final deste ano.

O índice de manufatura do ISM, um indicador econômico observado de perto, caiu para uma leitura de 51,7 em junho, ante 52,1 em maio. O índice representa a participação de empresas que expandiram a atividade durante o mês. Portanto, a leitura acima de 50 representa o crescimento do segmento de manufatura da economia.

Embora a atividade industrial tenha superado a expectativa em junho, é muito menor do que os 60,2% registrados há um ano.

“Ele é seguro”

Trump há muito tempo critica o Fed, chamando-o de o maior problema para a economia do país. Ele começou a criticar abertamente o banco central e seu chefe em 2018.

O Fed elevou as taxas sete vezes durante o governo Trump, com a última alta provocando a turbulência no mercado de ações em dezembro de 2018. O banco central manteve as taxas estáveis desde então.

A administração Trump não está fazendo “nenhum esforço” para substituir Powell, segundo o conselheiro econômico da Casa Branca, Larry Kudlow.

“Eu vou dizer que, inequivocamente, no momento, sim, ele está seguro”, disse ele no evento de intercâmbio de capital da CNBC, em 9 de julho.

Kudlow também disse que o Fed tinha espaço para reduzir as taxas de juros este mês, acrescentando que o conselho poderia “retomar a alta de dezembro”.

Ele observou que o banco central deve se concentrar na estabilidade do nível de preços, e não nos dados de emprego.

“Eu não estou aqui para bater o Fed e respeito a independência deles”, disse ele.

“Estou apenas falando analiticamente, então olho para coisas como a curva de juros invertida, que acho um tanto preocupante e acho que é um sinal para o Fed; se há alguma coisa, é um sinal deflacionário ”.

Siga Emel no Twitter: @mlakan

 
Matérias Relacionadas