Teste de fogo da sonda Dragon, da SpaceX, apresentou problemas

Por Wire Service Content

Plumas densas de fumaça subiram sobre uma instalação da SpaceX, na Flórida, durante um teste de fogo de uma sonda Tripulada Dragon no sábado, 20 de abril. Se a questão fosse séria, poderia atrapalhar os planos de colocar astronautas a bordo da cápsula ainda este ano.

A SpaceX disse que a nave estava passando por uma “série de testes de motores” em uma instalação no Cabo Canaveral, e algo deu errado durante o trecho final. A SpaceX trabalhará com a NASA para determinar o que causou o problema. Não foram relatados feridos.

“Garantir que nossos sistemas atendam a rigorosos padrões de segurança e detectem [problemas] como este antes do voo são as principais razões pelas quais testamos”, disse a SpaceX em um comunicado.

A Dragon já está atrasada, e mais atrasos podem tornar as coisas mais complicadas para a NASA. Os Estados Unidos não têm a tecnologia para levar seres humanos à órbita desde que o programa do ônibus espacial terminou em 2011.

A Nasa decidiu pedir ao setor privado para projetar e construir uma nova geração de espaçonaves.

A SpaceX e a Boeing, que está construindo um veículo chamado Starliner, receberam contratos de até US $ 2,6 bilhões e US $ 4,2 bilhões, respectivamente, em 2014. Ambas as cápsulas deveriam começar a voar em 2017, mas a SpaceX e a Boeing sofreram atrasos.

A SpaceX, fundada por Elon Musk em 2002, venceu a Boeing na rampa de lançamento enviando a Dragon em um voo de testes sem tripulação em março, durante o qual a cápsula atracou com a ISS por alguns dias antes de voltar para casa. Essa missão ocorreu sem problemas.

Tesla CEO Elon Musk leaves Manhattan federal court after a hearing on his fraud settlement with the SEC in New York
Elon Musk, CEO da Tesla, deixa o tribunal federal de Manhattan após uma audiência sobre o acordo de fraude com a Securities and Exchange Commission (SEC) em Nova York, em 4 de abril de 2019.(Brendan McDermid / Reuters)

A Dragon estava programada para realizar um teste-chave do seu sistema de aborto de emergência em junho. E sua primeira missão tripulada, que levará os astronautas Doug Hurley e Bob Behnken, foi programada para julho, apesar de a Nasa ter dito recentemente que o cronograma está sob revisão.

A Boeing tem o objetivo de lançar o vôo de teste da Starliner em algum momento em agosto, potencialmente colocando a cápsula no caminho certo para pilotagem dos astronautas até o final do ano.

Autoridades federais alertaram a NASA no ano passado que mais atrasos poderiam deixar os astronautas dos Estados Unidos retidos se as novas cápsulas não estivessem prontas para voar em 2019. A Nasa reservou apenas assentos da Soyuz até dezembro. Mas a agência espacial revelou em fevereiro que tentaria garantir mais dois assentos – um em um vôo que partiria no final deste ano e outro em uma missão marcada para a primavera de 2020 – para garantir “operação segura e contínua de pesquisa e atividade na ISS”.

2019 CNN Trademark

 
Matérias Relacionadas