Terremoto de magnitude 4,7 surge em ‘enxame’ na Austrália Ocidental

Especialistas afirmam que a causa do enxame é desconhecida, com a possibilidade de um evento maior em um futuro próximo

Por Daniel Khmelev

A Austrália Ocidental (WA) presenciou uma onda incomum de tremores com um terremoto de magnitude de 4,7  formando o maior dos quase 70 registrados nas últimas três semanas.

No entanto, especialistas afirmam que a causa do enxame é desconhecida, com a possibilidade de um evento maior em um futuro próximo não estando fora de questão.

“Não há uma boa explicação sobre por que esses enxames ocorrem”, afirmou a sismóloga sênior da GA Tania Pejic ao 6PR. “Então, eles são realmente mal compreendidos”.

O estrondo de magnitude 4,7 foi registrado a 30 quilômetros a oeste de Wagin no início da manhã de 25 de janeiro, mas foi sentido até a capital do estado, Perth, cerca de 230 quilômetros a noroeste.

Moradores de Wagin relataram que foram acordados após sua cama começar a tremer, além de experimentar telhados balançando e janelas chacoalhando.

De acordo com os moradores, os tremores foram uma ocorrência contínua nas últimas semanas. A região já registrou 69 eventos—a maioria entre uma magnitude de dois e três—com o primeiro ocorrido no dia 5 de janeiro.

Enquanto a parte sudoeste da WA possui uma das maiores atividades sísmicas da Austrália, sequências de terremotos normalmente ocorrem apenas como tremores secundários após um evento maior e principal.

Mapa de eventos sísmicos significativos na Austrália Ocidental desde 1906 (Gnangarra/Wikimedia Commons)
Mapa de eventos sísmicos significativos na Austrália Ocidental desde 1906 (Gnangarra/Wikimedia Commons)

“O que eles são é um grande número de terremotos ocorrendo em um curto período de tempo sem nenhum choque principal discernível”, relatou Pejic.

“Nós registramos na semana passada mais de 30 terremotos de magnitudes em torno de dois ou três”, afirmou ela. “Este até agora é o maior que já registramos, e já registramos alguns tremores secundários deste terremoto”.

Pejic declarou que não se sabe se terremotos maiores que a magnitude de 4,7 ocorrerão no futuro.

“Infelizmente, não sabemos. Podemos esperar que seja o pico do enxame… Não podemos afirmar nada se isso será seguido por pequenos terremotos ou se haverá um maior. A probabilidade é baixa de que isso aconteça, mas não podemos excluir totalmente essa possibilidade”, afirmou ela.

A captura dos eventos foi auxiliada por novas estações de registro sísmico que foram instaladas em 2020 após a sequência do terremoto do Lago Muir, em 2018

O incidente presenciou um terremoto de magnitude de 5,7 graus, no dia 16 de setembro de 2018 – o maior terremoto registrado ao sul de Perth desde o início dos registros – que foi sentido no sudoeste de WA e partes de Perth.

Danos ocorreram em estruturas próximas ao epicentro e 700 tremores secundários foram registrados, incluindo um de magnitude de 4,6 e 5,4 nos dois meses seguintes.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
Matérias Relacionadas