Taiwan derruba antenas que levam notícias sem censura à China

A subestação da Rádio Taiwan Internacional (RTI) em Tianma, Tainan, tem 20 antenas, cada uma de 75 metros de altura, formando um círculo. A RTI planeja encerrar suas subestações e terminar seus contratos com a Rádio Som da Esperança (SOH) e a Rádio Free Asia. A SOH suspeita que a rapidez e inflexibilidade da decisão indique pressão política da China continental, cujo regime se ressente há muito tempo da emissora (Li Yuan/Epoch Times)

Antes de se tornar uma causa célebre no Ocidente, o advogado cego chinês Chen Guangcheng frequentemente ouvia, quando estava em prisão domiciliar em Shandong, as notícias e reportagens de direitos humanos da Rádio Som da Esperança (SOH).

Mas agora as ondas de rádio da tenaz estação independente estão ameaçadas por tratores e pressão política, enquanto a maior estação de rádio estatal de Taiwan, a Rádio Taiwan International (RTI), move-se para derrubar dezenas de torres caríssimas que enviam sinais de ondas curtas para a China continental e para o mundo, o que tem sido vinculado à pressão do Partido Comunista Chinês (PCC).

Em 1º de julho, a primeira torre de transmissão em ondas curtas localizada em Tianma, Tainan, no sul de Taiwan, foi derrubada, segundo o vice-presidente da SOH, Sean Lin, que vive em Washington.

Seu colega Allen Zeng, o CEO da SOH, tem tentado desesperadamente por dois meses interromper o processo, mas foi ignorado pelas autoridades dos meios de comunicação e transmissão de Taiwan.

Há um total de 28 estruturas de 75 metros de altura localizadas em Tianma e Huwei em Taiwan. Por nove anos, a SOH tem alugado e usado-as para irradiar à China continental sua transmissão, por quatro ou cinco horas toda a noite, tornando-se um dos maiores clientes da RTI.

A RTI utiliza ondas curtas cada vez menos nos últimos anos. Construídas com ajuda e financiamento dos militares dos EUA; na década de 1970, a tecnologia foi parte de uma estratégia para levar notícias sem censura à China, onde a mídia nacional é subserviente ao PCC, e para direcionar o país a uma transição democrática. A Voz da América (VOA) e a Rádio Free Asia (RFA) também transmitem para o continente, onde agentes comunistas chineses interferem nos sinais e chamam-nas de “estações inimigas”.

Agora, ao invés de levar notícias livremente para as massas da China, a RTI está focada no público doméstico de Taiwan, que pode ser perfeitamente acessado via internet. Transmissões de ondas curtas têm um papel pequeno, por isso, a estação tem vislumbrado há algum tempo cortar custos e demolir as torres.

No entanto, essa mudança de contexto não explica as circunstâncias peculiares no momento: a rapidez da decisão de destruir as torres, que foram originalmente planejadas para serem desmanteladas apenas no final desse ano; o segredo e a incomunicabilidade dos funcionários da RTI durante o processo; e a inflexibilidade obstinada em realizar qualquer tipo de acordo com a SOH e a RFA sobre passar as torres da RTI para outras mãos ao invés de demoli-las.

Em maio, a SOH soube que as torres seriam desmanteladas em algum momento no meio do ano, mas não receberam qualquer notificação oficial da RTI, eles souberam a partir de contatos numa estação da RTI. Os esforços de Allen Zeng – que quando soube do processo viajou imediatamente da Califórnia para Taiwan – para conversar com a RTI têm sido infrutíferos.

“Não só o presidente da RTI ordenou a desmontagem, ele próprio foi a Tainan, que fica no extremo oposto de Taiwan, para se certificar de que isso acorresse, mostrando a severidade que ele atribui ao desmantelamento”, escreveu Allen Zeng num e-mail. “Na última sexta-feira, sua secretária me disse: ‘O presidente não pode encontrá-lo na segunda-feira, pois está totalmente ocupado nesse dia.’ Em outras palavras, em vez de se encontrar comigo e ouvir meu apelo para preservar as torres, o presidente da RTI foi a Tainan para derrubar as torres primeiro.”

O governo de Taiwan recebeu uma série de cartas de congressistas norte-americanos, conhecidos por seu apoio robusto à liberdade de expressão e aos direitos humanos na China, mas uma fonte próxima à SOH disse que, quando questionado, o presidente taiwanês Ma Ying-jeou disse que não sabia da controvérsia.

Supondo que o presidente Ma está sendo verdadeiro ao dizer que cartas sobre o assunto dirigidas a ele nunca chegaram, Allen Zeng diz que isso pode indicar que jogos políticos estão ocorrendo entre funcionários da administração de Taiwan que se beneficiariam por favorecerem o regime chinês.

Nenhuma evidência direta sugere que isso esteja acontecendo, mas essa situação se encaixaria num padrão internacional bem estabelecido ao longo dos anos, em que o PCC exerce forte pressão sobre estrangeiros e intermediários para alcançar seus objetivos políticos, especialmente quando se refere a silenciar vozes que o regime interpreta como críticas.

“O PCC está intervindo diretamente aqui”, escreveu Allen Zeng numa carta, na tentativa de conseguir apoio. “A RTI, em vez de honrar os pedidos do Congresso dos EUA [três cartas foram escritas ao presidente Ma e ao Legislativo Yuan], optou por garantir que essas torres fossem derrubadas o mais rápido possível. Apenas o PCC e seus agentes em Taiwan tem essa motivação.”

Se as torres forem derrubadas e a SOH não puder usá-las, seu sinal ainda chegará à China por meio do próprio equipamento, mas será mais suscetível à interferência, segundo Sean Lin.

Ainda é possível impedir o desmantelamento das antenas, embora envolva decisão política de alto nível em Taiwan. Apenas uma torre foi derrubada até agora, segundo Sean Lin, e apoiadores da SOH continuam a buscar apoio tanto no Capitólio dos EUA como no Legislativo Yuan de Taiwan.

No entanto, ainda há ventos contrários. Um funcionário na cidade de Tainan, onde as torres de Tianma estão localizadas, disse a SOH, segundo Allen Zeng: “A razão pela qual se deve preservar as torres é exatamente a razão pela qual eles querem demoli-las. A RTI nos disse que essas torres são muito poderosas e podem chegar a metade do globo. Eles disseram: ‘Temos medo de que alguém possa obter as torres para outros fins, por isso, temos de destruí-las quando deixarmos de usá-las.’”

Allen Zeng concluiu: “Em outras palavras, as cartas e preocupações do Congresso dos EUA sobre a RFA, a VOA e a SOH reutilizarem as torres se tornaram catalisadores para destruí-las mais rapidamente.”

Epoch Times publica em 35 países em 21 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas