Surto de hepatite acobertado pelas autoridades chinesas

Pacientes de hepatite na província de Anhui temem que seus apelos por ajuda estejam sendo silenciados (Rádio SOH)

Mais de 100 pessoas foram hospitalizadas e o número de infecções continua a crescer depois que um surto de hepatite C atingiu várias aldeias no Leste da China.

Residentes do condado de Fengyang, província de Anhui, estão frustrados porque o governo comunista parece ter deliberadamente escondido a epidemia e está bloqueando informações, impedindo que se tornem públicas. Como petições e recursos foram negados, duas das pessoas infectadas se mataram em desespero.

Suspeita-se que a origem da infecção tenha sido o uso de agulhas compartilhadas numa clínica. A hepatite C foi confirmada no local em novembro. Houve um aumento acentuado no número de pacientes no verão, mas os médicos pensaram primeiramente que fosse hepatite A. No entanto, após o tratamento para hepatite A se mostrar inútil, os testes revelaram que o vírus era de fato da hepatite C, que pode provocar cirrose e câncer de fígado.

A Sra. Cheng, uma residente local, falou com o Epoch Times, “Agora, muitas pessoas têm hepatite C; há cada vez mais. Muitos foram hospitalizados. Sem qualquer seguro médico, eles têm de pagar o próprio tratamento. Alguns se suicidaram por causa disso. Todos estão em pânico.”

Aparentemente, pacientes locais com hepatite C receberam injeções na clínica da vila Chezhan, na cidade de Banqiao. Os médicos de lá usaram a mesma agulha para fazer exames em pacientes e garrafas de gotejamento intravenoso foram reutilizadas várias vezes. Os moradores apontaram que esta clínica tem aprovação oficial para tratamento e faz parte do sistema de seguro médico. Dois médicos da clínica, Li Shaoguo e Li Shaochuan, fugiram com suas famílias, mas ainda não foram responsabilizados pela epidemia.

A Sra. Huang da vila Guantang, cidade de Zongpu, descreveu o que aconteceu com dois familiares que foram tratados na clínica.

“Meu pai e um de meus sobrinhos receberam tratamento intravenoso lá. Apesar de pagarem dezenas de milhares de yuanes por tratamento médico, eles se sentem fracos, incapazes de trabalhar e não podem sequer andar. As pessoas vendem culturas para viver aqui. Quando outros sabem que há pacientes com hepatite C na família, ninguém compra suas colheitas ou mesmo ousa falar com os pacientes. Todos os pacientes foram juntos ao governo local, mas as autoridades não têm feito nada. Então, mais pessoas foram infectadas e o governo agora é responsável. Eles disseram aos pacientes que não apelassem aos níveis mais altos do governo, mas não fazem nada para ajudar os pacientes.”

De acordo com os moradores, a maioria dos pacientes é agricultor e agora enfrenta grande pressão financeira. Usar o medicamento importado ‘interferon alfa’ para tratar a hepatite C custa 100 mil yuanes (16 mil dólares) por ano.

Um dos aldeões disse, “Houve sete ou oito tentativas de petição. A epidemia é causada pela supervisão negligente da Secretaria de Saúde do governo e eles estão com medo de serem responsabilizado se isso for divulgado. É por isso que estão acobertando os fatos. E muitas mídias não se atrevem a denunciar o surto.”

Nos últimos anos, houve vários surtos de hepatite C, todos provocados por agulhas compartilhadas. Por exemplo, em fevereiro deste ano, mais de 200 pessoas foram infectadas no condado de Zijin, província de Guangdong. No ano passado, mais de 100 pessoas foram afetadas no condado de Wuoyang, província de Anhui.

Epoch Times publica em 35 países em 20 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas