Surgem suásticas em pontos de interesse do Google Maps: todos se perguntam por que (Vídeo)

Na China, a suástica está associada à Escola Buda (incluindo a religião budista)

Por Epoch Times

Usuários das redes sociais e internautas de diferentes partes do mundo alertaram que o símbolo da suástica tem aparecido em certos pontos de interesse no Google Maps nos últimos dias.

“Abri o Google Maps para procurar hotéis nas proximidades quando notei as suásticas. Eu achei muito estranho, então tirei um print. Aí então eu tuitei os mapas para o Google questionando-os sobre isso”, disse Katie, cidadã da Irlanda, para o HuffPost.

Diante das preocupações dos usuários, o Google esclareceu que a suástica é um símbolo usado pelo aplicativo para marcar os templos budistas, já que a suástica, antes de ser usada pelos nazistas, era um sinal relacionado a algumas religiões da Índia, como o budismo e o yainismo.

De qualquer forma, o uso de suásticas é incorreto nos casos que os usuários denunciaram, uma vez que são estabelecimentos sem qualquer conexão com o budismo.

Hoje, as pessoas associam a suástica a Adolf Hitler — um dos maiores genocidas da história — porque Hitler roubou esse símbolo enquanto procurava outro diferente de todos os outros, algo distinto e notável.

Hermann Göring, membro proeminente do Partido Nazista, que se tornou o segundo homem mais poderoso da Alemanha e comandante-em-chefe da Luftwaffe (força aérea), apresentou-lhe a ideia da suástica, depois de conhecer este símbolo milenar.

Depois dessa usurpação, a suástica assumiu outro significado para a maioria das pessoas e, em vez de representar “algo divino” e sobrenatural, como no passado, tornou-se um símbolo de ódio e violência.

Suásticas são o símbolo do Buda (en.minghui.org)
Suásticas são o símbolo do Buda (en.minghui.org)

Mas, na realidade, este símbolo não tem nenhuma conotação negativa, e sua verdadeira história — de mais de 10 mil anos — está muito longe do significado atribuído a ele na época do nazismo.

A etimologia deste nome é “suasti”, que vem do sânscrito (língua anteriormente falada na Índia) e significa “bem-estar”. “Cruz do Cosmos”, “Círculo Solar”, “Lauburu” e muitos outros são os nomes que este símbolo herdou de culturas e religiões pré-históricas.

O uso popular que permanece no Oriente até hoje vem da época do Buda Sakya Muni, há 2.500 anos atrás.

Os índios da América do Norte usaram este símbolo durante 5.000 anos. Os índios Hopi chegaram a fazer duas estradas na forma de suástica na América do Norte. Os astecas, maias, olmecas e toltecas, assim como os incas, veneravam-no como símbolo sagrado.

Suástica do Palácio de Porte Dorée em Paris
Suástica do Palácio de Porte Dorée em Paris

Na China, a suástica está associada à Escola Buda (incluindo a religião budista). Ao contrário do desenho nazista, no qual aparece rotacionado em 45 graus, ele é usado horizontalmente. Em chinês é chamado de “wan” e significa “tudo”, “eternidade”. Representa o movimento das galáxias, o universo e a criação da vida.

Por essas razões, o Google está tentando corrigir o erro: “Estamos cientes de que esses símbolos religiosos são exibidos incorretamente em determinados hotéis e estamos trabalhando em uma solução para restaurar o ícone correto nesses locais”, de acordo com o HuffPost.

 
Matérias Relacionadas