Suécia detém oficial chinês novamente, desta vez a pedido dos EUA

Por Reuters

ESTOCOLMO – A Suécia deteve um oficial chines fugitivo a pedido dos Estados Unidos e espera a realização de um pedido formal para sua extradição, disse um promotor sueco em 24 de junho.

Qiao Jianjun foi libertado da custódia sueca na quarta-feira, uma indicação de que a Suprema Corte da Suécia rejeitará um pedido anterior do regime chinês para sua extradição, segundo seu advogado sueco, Henrik Olsson Lilja.

Os Estados Unidos acusaram Qiao em 2015, em sua ausência, por lavagem de dinheiro e fraude de imigração. Qiao e sua ex-esposa Zhao Shilan são acusados de mentir em seus requerimentos para o visto de investidor imigrante EB-5, fingindo que ainda eram casados e detendo uma participação em empresas. Qiao é acusado de roubar cerca de US$ 500.000 e usá-lo para comprar imóveis em Newcastle, no estado de Washington.

Em 2018, a China pediu à Suécia que extraditasse Qiao, que está em fuga dos promotores chineses desde 2011, em conexão com suspeitas de que ele havia desviado milhões de dólares.

A promotora sueca Marie Lind Thomsen, disse que a polícia sueca prendeu Qiao no domingo , o ex-diretor de depósito de uma instalação governamental de armazenamento de grãos na China.

“Recebemos uma solicitação (americana) para sua prisão e (um aviso que) receberemos deles um pedido de extradição”, disse ela, confirmando reportagens da mídia sueca na segunda-feira. Olsson Lilja disse que Qiao se oporia a todas as acusações dos Estados Unidos e contestaria sua extradição.

Lind Thomsen e Olsson Lilja se recusaram a falar em relação a quais alegações os Estados Unidos solicitaram a prisão de Qiao.

Por Anna Ringstrom e Esha Vaish. O Epoch Times contribuiu para esta reportagem.

 
Matérias Relacionadas