Substância ilegal fabricada na China é encontrada em suplementos dietéticos nos EUA

Este caso recente demonstra os perigos da entrada no mercado norte-americano de substâncias ilegais provenientes da China

Por Annie Wu, Epoch Times

Um cidadão chinês declarou-se culpado de fazer parte de um plano fraudulento para vender suplementos dietéticos feitos com um estimulante sintético produzido na China conhecido como DMAA, uma substância ilegal.

O DMAA foi proibido pela Administração de Drogas e Alimentos (FDA, na sigla em inglês), mas ele é muitas vezes indicado como um estimulante “natural” nos suplementos dietéticos. Ingerir essa substância aumenta a pressão arterial e pode levar a problemas cardiovasculares, incluindo ataques cardíacos, de acordo com a FDA.

O Departamento de Justiça norte-americano anunciou que Zhang Xiaodong, oriundo de Xangai, na China, se declarou culpado no tribunal federal de Dallas na quinta-feira passada (12).

Ele foi gerente de vendas da Genabolix EUA e da Shanghai Yongyi Biotechnology, duas companhias chinesas que vendem matérias-primas para uso em suplementos dietéticos. Zhang e outros dois comparsas concordaram em vender o DMAA a um fabricante de suplementos dietéticos dos Estados Unidos, enquanto rotulavam incorretamente a substância, ocultando a verdadeira natureza dos suplementos para os varejistas, de acordo com o Departamento de Justiça. Zhang admitiu que sabia que os principais varejistas de suplementos se recusariam a vender produtos feitos com DMAA.

“Quando os produtores sem escrúpulos adicionam ingredientes não declarados ou não identificados aos suplementos dietéticos, não há garantia de que o produto seja seguro para o consumo”, disse Catherine A. Hermsen, diretora interina do Departamento de Investigações Criminais da FDA, em um comunicado de imprensa.

Zhang atualmente está cumprindo uma sentença de 20 anos de prisão.

Antecedentes

Este caso recente demonstra os perigos da entrada no mercado norte-americano de substâncias ilegais provenientes da China. Em novembro de 2015, o Departamento de Justiça apresentou acusações criminais contra o USPlabs, fabricante de suplementos dietéticos com sede em Dallas que comercializava suplementos contendo extratos naturais de plantas, mas na verdade os suplementos continham DMAA sintético produzido por fornecedores químicos chineses, de acordo com um informe do jornal Dallas Morning News.

Os suplementos do USPlabs que continham DMAA foram comercializados como energéticos. Mas os atletas profissionais que tomaram os suplementos não passaram pelos testes de doping. Alguns dos que tomaram os suplementos disseram que precisaram fazer transplante de fígado para sobreviver, segundo as acusações citadas pelo Dallas Morning News.

 
Matérias Relacionadas