O significado ancestral do termo “medicina” na antiga China

Qual era o significado ancestral do termo “medicina” na antiga China?

O caractere chinês 藥 (yào) refere-se a medicamento ou droga. Ele é composto por duas partes. A parte superior é o radical 艹 (cǎo), que indica relva e plantas, relacionadas com ervas, incluindo ervas medicinais. A parte inferior pronuncia-se 樂 (yuè ou lè), e é um caractere independente que tem dois significados: música (yuè) e deleite ou felicidade (lè).

Estas duas partes e esses três significados juntos proporcionam um insight sobre como os antigos chineses compreendiam a medicina.

O caractere 藥 (yào) teve origem na sua parte inferior, 樂 (yào), que relaciona historicamente o uso da música para curar doenças desde a antiguidade na China, antes até da descoberta das ervas medicinais chinesas.

Os milênios foram passando, mas a escrita chinesa, apesar de modificada e reduzida após a entrada do cumnismo na China, em 1949, manteve muitos dos caracteres originais, levando a diante os conceitos originais e funadamentais da cultura chinesa: o caractere que existe atualmente na língua chinesa  para designar “medicina” expressa em seu conjunto três coisas: música, felicidade e ervas.

A batalha do Imperador Amarelo com Chi You

De acordo com a mitologia chinesa, Huang Di, ou o lendário Imperador Amarelo, que é reverenciado como o antepassado do povo chinês, certa vez foi desafiado a uma batalha por Chi You, o líder atroz de uma antiga tribo.

Abençoado pela fada divina Xuan Nü, que promovia os virtuosos e condenava os tiranos, o Imperador Amarelo foi aconselhado num sonho que só o som ensurdecedor de um tambor da pele de Kui, um boi selvagem monstruoso que residia na costa do Mar do Leste, poderia derrotar a tribo de Chi You e suas cabeças de metal.

Após acordar, o imperador imediatamente ordenou a captura do Kui. A pele do Kui foi então usada para produzir 80 tambores.

Quando os soldados do imperador soaram os tambores no campo de batalha, a terra estremeceu em todas as direções e os soldados de Chi You foram derrubados, as suas cabeças de metal racharam provocando muita dor.

Contudo, vários dos soldados do imperador foram afetados pelo som e também caíram inconscientes. O imperador pediu ajuda a seu músico mestre que rapidamente improvisou um remédio.

Um instrumento que salva vidas

O músico-mestre desatou as cordas dos arcos dos soldados do imperador e amarrou-as a um pedaço oco de madeira. Em seguida, ele pegou um pequeno e fino pedaço de metal e graciosamente dedilhou as cordas produzindo música maravilhosa. Gradualmente, os soldados feridos recuperaram a consciência.

Inspirado por este instrumento, Cang Jie, o oficial encarregado de criar os caracteres, concebeu o caractere 樂 (yuè) para música.

No meio da parte superior está o caractere 白 (bái), com duas “cordas” (糸, sī) em ambos os lados. 白 (bái) é o caractere para a cor branca, mas, neste contexto, ele se refere à palheta, a pequena ferramenta plana usada para tocar ou arranhar as cordas. Na parte inferior de 樂 (yuè) está o caractere 木 (mù), que significa madeira.

Assim, pode-se ver que a estrutura do caractere 樂 (yuè) é uma representação do instrumento que salva vidas. Baseado no uso inicial da música para curar enfermos, o caractere para música foi mais tarde integrado no caractere para droga ou medicamentos, 藥 (yào).

Da amargura à alegria

O caractere chinês para música tem um segundo significado: deleite e/ou felicidade. Enquanto a relação óbvia é que a bela música pode trazer alegria, a alegria tem outra relação com a medicina.

O medicamento é caracterizado por sua amargura, contudo, um paciente só consegue recuperar sua saúde e felicidade após sofrer amargura. Este paradoxo tem suas raízes na “doutrina do equilíbrio/meio”, o clássico confucionista que ensina que para ganhar uma posição invencível uma pessoa tem de ser perseverante e manter uma posição “mediana” ou “equilibrada”, que estaria entre os extremos.

Essa visão permite que uma pessoa encontre esperança na adversidade e exerça prudência em meio à prosperidade. Deste princípio, pode-se ver por que a felicidade (樂, lè) está contida no medicamento amargo, 藥 (yào).

De acordo com a mitologia, Shen Nong, considerado o pai da agricultura na China, experimentou centenas de ervas para averiguar suas propriedades medicinais.

Ele também teria estabelecido uma base sistemática para a medicina tradicional chinesa, compilando mais tarde o primeiro livro de farmacologia, chamado ‘Clássico da medicina herbórea de Shen Nong’. Por isso, é apropriado encontrar o radical 艹 (cǎo) no caractere chinês para medicina.

A verdadeira medicina, então, deve recuperar uma pessoa tocando-lhe a alma, e, às vezes, necessita usar remédios amargos para a cura e a consequente felicidade da pessoa.

Leia também:  A base da medicina tradicional chinesa é o Tao

Os segredos escondidos na arte tradicional chinesa

                          ————–

Epoch Times

 

 
Matérias Relacionadas