Aos sete meses, bebês podem distinguir emoções na voz humana

Estudo publicado na revista Neuron, mostra que a sensibilidade dos bebês à voz humana surge entre quatro e sete meses de idade. Essa descoberta têm grande impacto sobre o reconhecimento de perturbações no desenvolvimento neurológico de crianças, tais como o autismo.

O autismo é uma alteração que afeta a capacidade de comunicação do indivíduo, de socialização (estabelecer relacionamentos) e de comportamento (responder apropriadamente ao ambiente).

Usando espectroscopia infravermelha para examinar a região do córtex temporal do cérebro, os pesquisadores descobriram que bebês dessa faixa etária mostraram sensibilidade à voz humana, esboçando emoções muito semelhantes as observadas nos cérebros dos adultos.

Os pesquisadores descobriram que uma região sensível à voz do córtex temporal direito de um bebê de sete meses mostrou maior atividade quando ouvia palavras com entonação de raiva ou felicidade.

“Nossos resultados mostram que as regiões do cérebro sensíveis à voz em bebês de quatro a sete meses de idade já estão prontas para responder a informações de estímulo emocional. Passada esse idade, há possibilidade de mau desenvolvimento neurológico que é subjacente quando o processamento da voz é prejudicado, como em crianças com transtornos como o autismo.”, disse Dr. Grossmann, da Universidade de Londres, num comunicado de imprensa.

“Portanto, em trabalhos futuros, o atual entendimento poderá ser utilizado para avaliar diferenças nas respostas individuais das crianças à voz e à entonação emocional, e servir como um dos possíveis métodos de auxílio para identificação precoce de crianças com risco de transtornos neurológicos.”

 
Matérias Relacionadas