Sete maneiras de proteger seu filho do bullying

Cada vez mais as pessoas dão um passo adiante para compartilhar suas próprias experiências, e isso gera mais apoio, tornando o bullying um assunto muito sério
SB-proteger-filho-bullying
Alunos se reúnem antes de entrar na escola. A Clínica Mayo estima que cerca da metade de todas as crianças em idade escolar são vítimas de bullying em algum momento (Frank Perry / AFP / Getty Images)

O bullying (assédio moral) não é uma questão de pouca importância. A imagem do valentão da escola roubando dinheiro do lanche das crianças  tornou-se um cenário terrível, com consequências graves. A Clínica Mayo estima que quase metade das crianças em idade escolar são vítimas de bullying em algum momento. O bullying pode ser prejudicial para o funcionamento fisiológico e psicológico, e pode levar ao suicídio.

Existem três tipos de bullying, e alguns deixam evidências físicas como hematomas ou cortes. Outros são de natureza psicológica, como o bullying verbal e o cyberbullying. Para muitos pais uma pergunta persiste: como posso proteger meu filho dos agressores?

1. Identifique sinais de bullying

Saiba se o seu filho está sendo intimidado. A Clínica Mayo relata uma lista de sintomas do bullying, incluindo: medo de ir à escola, problemas de concentração, dores de estômago, dores de cabeça, baixa autoestima, depressão, ansiedade e pensamentos suicidas.

2. Conheça o ambiente da criança

As crianças interagem regularmente com adultos que não são seus pais. Muitos adultos percebem apenas o que constitui um dia normal na vida de seu filho. Forneça meios de contato para os professores, funcionários da escola, motoristas de ônibus e outros pais. Se o seu filho está sendo intimidado, ou está intimidando os outros, os adultos podem fazê-lo saber. Conheça os amigos do seu filho. O bullying muitas vezes toma a forma de interações sociais entre amigos.

3. Comunique-se

Comunique-se com seus filhos, pergunte a eles sobre o seu dia e ouça atentamente para verificar se houve momentos ruins, conforme sugere o site Stopbullying.gov. Além disso, converse com seus filhos sobre o bullying. Explique a eles o que é e como proteger a si mesmos e aos outros.

4. Fique atento ao cyberbullying

Indiscutivelmente, os estranhos podem, e assediam, as crianças onde mais se espera que estejam seguros: no conforto de suas próprias casas. O mesmo acontece com companheiros ou namorados abusivos. Instale software de monitoramento em todos os dispositivos eletrônicos. Isso permite que os pais estejam sempre observando com quem seu filho conversa. Em 2006, uma pesquisa nacional feita pela KidHealth.org constatou que um em cada três adolescentes, e um em cada seis pré-adolescentes, foram vítimas de cyberbullying (bullying pela internet).

Se o seu filho sofreu bullying, o site Kids.gov sugere que você faça o seguinte:

1. Não responda ao agressor, e suspenda todas as formas de contato.

2. Bloqueie o agressor. Quer se trate de um nome online, ou um número de telefone, impeça-o de continuar falando com seu filho.

3. Guarde provas. Existem leis e políticas contra o cyberbullying. Verifique o que se aplica ao seu país.

5. Incentive seus filhos a fazer o que gostam

Incentive passatempos, paixões, expressão artística, instituições de caridade e fundações. Isso pode ajudar as crianças a desenvolver confiança, independência e uma base sólida em sua própria mente, contribuindo para reduzir os impactos negativos do bullying.

6. Seja exemplo

As crianças observam e aprendem com os adultos, de modo que os pais ou outros adultos responsáveis ​​devem levar a sério a responsabilidade de ser um bom exemplo para as crianças que estão ao seu redor. Mesmo criminosos podem se beneficiar de um modelo sólido, forte e positivo.

7. Seja proativo

Existem cada vez mais e mais recursos e organizações anti bullying. Eles oferecem programas para ajudar a educar as crianças sobre o bullying na escola. Seja proativo e informe-se quanto a oficinas e atividades anti bullying na sala de aula. O Centro Nacional de Prevenção do Bullying (Pacer.org), fornece em seu site um conjunto de ferramentas de prevenção do bullying, entre muitos outros recursos.

Conforme mais pessoas dão um passo adiante para compartilhar suas próprias experiências, é gerado mais apoio e compreensão em relação ao tema, tornando o bullying um assunto muito sério. Se o seu filho é um agressor ou está sendo abusado por um, tome medidas proativas para ajudar a tornar as escolas e o ciberespaço lugares mais seguros para crianças, adolescentes e até adultos.

 
Matérias Relacionadas