Senadores dos EUA pedem investigação sobre tráfico de drogas vinculado ao governo da Venezuela

Dois senadores norte-americanos pediram na quarta-feira, 24 de janeiro, que o Departamento de Justiça (DOJ, na sigla em inglês) dos Estados Unidos investigue as denúncias de tráfico de drogas envolvendo altos funcionários do governo do presidente venezuelano Nicolás Maduro enquanto o país luta com uma crise econômica.

Numa carta ao procurador-geral norte-americano Jeff Sessions, vista pela Reuters, o senador republicano Marco Rubio e o democrata Robert Menendez disseram que estavam preocupados com as possíveis conexões entre o governo de Maduro e as organizações de narcotraficantes, e querem uma investigação “para entender melhor o nexo entre elementos criminosos e membros do círculo íntimo de Maduro”.

Apesar de ser um grande país produtor de petróleo, a Venezuela está passando por uma grave crise econômica e social, com milhões de pessoas sofrendo com a falta de alimentos e medicamentos, hiperinflação e crescente insegurança.

Leia também:
• Maioria dos países latino-americanos e EUA não reconhecerão resultados das eleições venezuelanas
• Presidente do Congresso da Venezuela é chefe do ‘Cartel dos Sóis’, afirma ex-chefe de segurança

Rubio é presidente do subcomitê do hemisfério ocidental do Comitê das Relações Exteriores do Senado, e Menendez é seu homólogo democrata no mesmo órgão. Ambos os legisladores são críticos fortes do governo atual da Venezuela.

Em sua carta, eles suscitaram preocupações de que a situação na Venezuela poderia desestabilizar a região.

O Ministério da Informação venezuelano não respondeu imediatamente a um pedido de comentário. No passado, Maduro rejeitou as acusações de tráfico de drogas como uma campanha de difamação de Washington, acrescentando que os Estados Unidos são responsáveis ​​pelo tráfico de drogas porque seriam um mercado tão grande para os narcóticos ilegais.

Em 1º de agosto de 2016, um tribunal distrital dos Estados Unidos anunciou o indiciamento de Néstor Reverol, que agora é ministro do interior da Venezuela, acusado de participar de uma conspiração internacional de tráfico de cocaína. Em fevereiro de 2017, o Departamento do Tesouro dos Estados Unidos impôs sanções contra o vice-presidente venezuelano Tareck el-Aissami por envolvimento no tráfico de drogas e outros crimes relacionados.

E em dezembro de 2017, dois sobrinhos da esposa de Maduro, Franqui Francisco Flores de Freitas e Efraín Antonio Campo Flores, foram condenados num tribunal federal norte-americano por tráfico de drogas.

A União Europeia anunciou novas sanções contra vários altos funcionários venezuelanos, incluindo Reverol, na segunda-feira, 22 de janeiro, dizendo que isso era uma expressão da preocupação do bloco com a crise política sob Maduro.

Rubio e Menendez também pediram a Sessions que apoiasse os esforços da Organização dos Estados Americanos para tratar das preocupações com os direitos humanos na Venezuela.

Um porta-voz do Departamento de Justiça disse que a carta foi recebida e estava sendo avaliada, mas recusou mais comentários.

 
Matérias Relacionadas