Senadora Kátia Abreu perde processo movido contra o Greenpeace Brasil

Ativistas protestam sobre a atuação da senadora Kátia Abreu contra o meio-ambiente
Ativistas protestam sobre a atuação da senadora Kátia Abreu contra o meio-ambiente (Foto: Divulgação / Greepeace)

Os desembargadores do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) deram razão, no último dia 17, ao Greenpeace Brasil em uma ação movida pela senadora da República no Estado do Tocantins e presidente da Confederação de Agricultura e Pecuária no Brasil (CNA), Kátia Abreu (PSD-TO).

A congressista entrou contra a organização na Justiça com o pedido de indenização por danos morais, quando foi chamada de “miss desmatamento” por ativistas do Greenpeace presentes no Congresso Nacional em protesto à atuação dela na aprovação da Medida Provisória 458, conhecida como “MP da grilagem”, durante o ano de 2009.

Na decisão, o relator do processo, Waldir Leônico Júnior, entendeu que os termos utilizados —“miss desmatamento” e “rainha do desmatamento”— para se referir à senadora “não dão ensejo a dano moral”. De acordo com o integrante do TJDF, qualquer agente público em exercício político está exposto a críticas dos mais diversos setores da sociedade.

“Tais acontecimentos são inerentes à atividade política e à vida pública e não podem ser equiparados à exposição da vida privada dos cidadãos que não exercem tais atividades”, explica o magistrado. Os desembargadores J.J. Costa Carvalho e Sérgio Rocha acompanharam o voto do relator do processo. A decisão está disponível aqui.

“A decisão da Justiça é marcante e versa sobre algo muito mais amplo do que liberdade de manifestação. O que os desembargadores entenderam é que, como senadora, Kátia Abreu necessita dar satisfação de sua atuação pública e pode ser questionada por isso”, diz o advogado da organização, Fernando Furriela, em nota publicada no site do Greenpeace Brasil.

Essa matéria foi originalmente publicada pelo Repórter Brasil

Epoch Times publica em 35 países em 21 idiomas

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas