Senador Marco Rubio exige que Biden leve situação em Cuba ‘a sério’

Por VOA

O senador republicano da Flórida, Marco Rubio , pediu na quarta-feira ao presidente norte-americano Joe Biden que leve “a sério” a resposta que o regime do líder cubano Miguel Díaz-Canel está dando aos manifestantes nos protestos que eclodiram no domingo em Cuba .

“O que tem que acontecer aqui é que o presidente Biden tem que levar isso a sério, isso é o que eu claramente pedi a ele”, disse Rubio em uma mensagem de vídeo por meio de um tweet.

“Quero que seja uma questão bipartidária, não precisa ser assunto de republicanos e democratas”, disse Rubio, expressando preocupação com o número de detidos e desaparecidos e com pelo menos uma morte oficialmente reconhecida pelo regime cubano.

Os protestos estouraram no domingo na cidade de San Antonio de los Baños, na província de Artemisa, onde os manifestantes exigiam liberdade.

Embora o presidente Biden tenha prometido em sua campanha eleitoral ações para reverter as políticas de seu antecessor, o republicano Donald Trump, quase sete meses depois do início de seu mandato, ele reiterou que a política em relação a Cuba “está em revisão”.

“Não temos nada a anunciar neste momento”, disse a  subsecretária adjunta para Assuntos do Hemisfério Ocidental, Emily Mendrala, à VOA na terça-feira .

Além disso, indicou que “como disse o presidente”, a política será centrada no respeito pelos “direitos humanos e no apoio à democracia”.

Críticas à Administração Democrática

Rubio mencionou em sua mensagem que jovens – em idade militar – foram mobilizados para reprimir as manifestações. “Eles disseram que tinham que pegar pedaços de pau e acertar as pessoas.”

Nessa ordem, o senador cubano-americano disse compreender “a frustração” de quem espera uma resposta de Washington, que chegou inclusive ao pedido de intervenção militar, medida que foi descartada e explicada terça-feira pelo senador democrata Bob Menéndez.

“ Não vamos ter uma intervenção militar em Cuba . Nenhum governo o fez, nem o republicano nem o mais anticomunista ”, disse Menéndez.

As autoridades cubanas culparam as ações de Washington pelos protestos e, diante do andamento das demandas, cortaram o serviço de internet.

No entanto, Rubio criticou que a reação da Casa Branca “tem sido muito fraca” e que o presidente “demorou quase 24 horas” para enviar uma mensagem pública.

Ainda nesta quarta-feira, a Casa Branca destacou por meio de uma porta-voz a jornalistas que “o mais importante para o povo cubano é entender que os Estados Unidos estão com ele e seu chamado para se libertar, tanto da pandemia como de décadas de repressão e  sofrimento econômico a que foi submetido pelo regime autoritário de Cuba ”.

Faça uma coalizão

Como proposta, Rubio disse que comunicou ao presidente dos Estados Unidos que convoque as Nações Unidas, a Organização dos Estados Americanos (OEA) “a todos os países da comunidade internacional e lhes diga: ‘Senhores, aqui está um massacre, e abuso, devemos condená-lo, devemos isolar este regime [de Havana] e devemos estar preparados para agir internacionalmente, para evitar um massacre ”.

Entre para nosso canal do Telegram.

Siga o Epoch Times no Gab.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas