Senador Kennedy afirma que política energética de Biden é uma ‘guerra’ contra a energia dos EUA

Isso destruiria a independência energética do país

Por  Masooma Haq

O senador John Kennedy (R-La.) denunciou as políticas de energia do presidente Joe Biden , dizendo que elas vão devastar a economia de seu estado e tornar os Estados Unidos mais dependentes de outros países para nossas necessidades de energia.

“A sua guerra contra o petróleo e o gás vai prejudicar os Estados Unidos. Isso vai destruir nossa independência energética”, disse Kennedy à Fox News na quarta-feira.

“Bem, deixe-me dizer algumas palavras sobre as ordens executivas do presidente Biden com relação à venda de petróleo e gás. Elas são incomensuravelmente burras”, acrescentou Kennedy, e disse: “Elas vão estripar Louisiana como um peixe. Um terço do PIB do meu estado está relacionado a petróleo e gás, e nosso estado não está sozinho”.

Aqui está a nova política energética do presidente Biden. Não vamos produzir nosso próprio óleo. Em vez disso, vamos comprar petróleo de países que nos odeiam. Então eles terão mais dinheiro para comprar armas e tentar nos matar. É incomensuravelmente bobo”, continuou Kennedy.

De acordo com a Administração de Informação de Energia dos EUA , a Louisiana é um dos cinco principais estados em produção e reservas de gás natural, respondendo por 9% da produção total de gás dos EUA em 2019 e tem cerca de 7% das reservas de gás do país. Além disso, as 17 refinarias de petróleo no estado de Kennedy respondem por quase um quinto da capacidade de refino do país e podem processar 3,3 milhões de barris de petróleo bruto por dia.

Uma das ordens executivas de Biden instrui o Secretário do Interior a suspender novos arrendamentos de petróleo e gás em terras e águas públicas federais e outra ordem intitulada “Enfrentando a Crise Climática em Casa e no Exterior”. A  Ordem Executiva no país e no exterior apela so secretário do interior para iniciar uma revisão rigorosa das concessões e autorizações de energia existentes, enquanto identifica as etapas para dobrar a produção de energia eólica offshore até 2030.

Biden disse que seu governo está tomando essas medidas para lidar com a mudança climática porque o planeta está em perigo. “É por isso que estou assinando uma ordem executiva hoje para aprimorar o ambicioso plano de nosso governo para enfrentar a ameaça existencial das mudanças climáticas. E esta é uma ameaça existencial”, disse Biden.

No entanto, o legislador da Louisiana discorda da administração Biden sobre como lidar com as mudanças climáticas.

“Acho que mais uma vez o presidente Biden cedeu aos loucos esquerdistas que dizem que nenhum de nós, exceto eles, se preocupa com o planeta. Isso não é verdade”, disse Kennedy.

“A maioria dos americanos apoia todas as políticas de energia acima, petróleo, gás, vento, solar, nuclear, geotérmica, hidrogênio. No entanto, eles também entendem que não podemos administrar a maior economia da história da humanidade sem petróleo e gás. Não [por] agora, e provavelmente não por muito tempo”, acrescentou Kennedy.

Eric Smith, vice-diretor do Tulane Energy Institute, diz que a interrupção do presidente Biden para novas perfurações pode ter um grande impacto negativo nas fábricas de produtos químicos e refinarias na Louisiana.

“O que veremos são custos de combustível mais altos e uma diminuição no entusiasmo por todo o investimento de capital pesado que foi feito no estado nos últimos dez anos”, disse Smith à WWLTV de Louisiana, acrescentando: “assessores (de Biden) entendem a gravidade de o impacto que eles poderiam ter na economia dos EUA, particularmente na economia da Louisiana”.

No entanto, um grupo de vigilância da mudança climática, a presidente do Earthjustice, Abigail Dillen, divulgou um comunicado em 27 de janeiro, elogiando as ordens executivas do presidente Biden sobre a mudança climática.

O Enviado Especial Presidencial para o Clima, John Kerry, fala durante uma entrevista coletiva na Casa Branca em Washington em 27 de janeiro de 2021 (Drew Angerer / Getty Images)

“Anunciar uma pausa no novo arrendamento federal de combustível fóssil é o primeiro passo para conter a perfuração de petróleo e gás, responsável por 25 [%] da poluição de carbono dos Estados Unidos, pois devasta nossas terras públicas e águas costeiras. Como o maior produtor mundial de petróleo e gás, os Estados Unidos devem liderar, tornando as preciosas terras públicas parte da solução para as mudanças climáticas”, disse Dillen.

Biden disse que suas mudanças de política criarão empregos com altos salários no setor de energia limpa, para substituir os perdidos na indústria de combustíveis fósseis.

“Um elemento-chave de nosso Plano de Recuperação Melhor para Reconstruir é construir uma infraestrutura climática moderna e resiliente com um futuro de energia limpa que criará milhões de empregos sindicais bem remunerados”, disse Biden durante uma entrevista coletiva na Casa Branca a respeito de suas ordens executivas sobre a mudança do clima.

Kennedy criticou o efeito que as políticas de mudança climática do governo Biden terão sobre os meios de subsistência dos trabalhadores americanos de combustíveis fósseis. E ele refutou o comentário de John Kerry de que os petroleiros deveriam aprender a instalar painéis solares, dizendo que essa não é uma expectativa realista.

“Bem, sem desrespeitar o secretário Kerry, mas ele vive sem contato com a realidade”, disse Kennedy.

“Quero dizer, você vai dizer a uma mulher de 50 anos, que trabalha para uma empresa de petróleo e gás que desenvolveu uma experiência extraordinária, que ela tem filhos na escola, que tem uma hipoteca para pagar, desista do trabalho dela, porque vamos demiti-la de qualquer maneira e levá-la de volta para a escola. E então você pode trabalhar em um emprego verde”, disse ele. “Isso não é realista”, acrescentou.

Entre para nosso grupo do Telegram.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas