Senado anula veto de Trump ao NDAA, apenas 13 membros votaram a favor

Esta é a primeira vez que um veto de Trump é anulado

Por Allen Zhong

O Senado votou para anular o veto do presidente Donald Trump à Lei de Autorização de Defesa Nacional (NDAA) até 2021.

A câmara alta aprovou o projeto na tarde de sexta-feira sem a assinatura do presidente por uma votação de 80-13, marcando a primeira vez que um veto de Trump foi anulado. O debate sobre o projeto de lei terminou na manhã do mesmo dia com o mesmo resultado.

Treze senadores votaram a favor do veto de Trump sobre o projeto. Eles incluem os republicanos Ted Cruz (R-Texas), Rand Paul (R-Ky.), Josh Hawley (R-Mo.), Mike Braun (R-Ind.), Tom Cotton. (R-Ark.), Mike Lee (R-Utah) e John Kennedy (R-La.).

Por outro lado, os defensores da lei foram os senadores Bernie Sanders (I-Vt.), Elizabeth Warren (D-Mass.), Cory Booker (DN.J.), Ed Markey (D-Mass.), Jeff Merkley (D-Ore.) E Ron Wyden (D-Ore.).

A Câmara votou na noite de segunda-feira para anular o veto de Trump com uma votação de 322 a 87.

O líder da maioria no Senado, Mitch McConnell (R-Ky.) indicou no início desta semana que sua câmara votaria para anular o veto de Trump. Ele pediu aos republicanos do Senado que aprovassem o projeto separando-se do presidente.

O presidente disse que os republicanos perderam a oportunidade de deixar a Seção 230 após a anulação do Senado.

“Nosso Senado republicano acaba de perder a oportunidade de se livrar da Seção 230, que dá poder ilimitado às grandes empresas de tecnologia”, disse ele em uma postagem no Twitter.

Trump vetou o NDAA em 23 de dezembro por vários motivos, incluindo resíduos no exterior e porque o projeto não removeu a Seção 230, o escudo de responsabilidade que protege as empresas de mídia social.

Ele disse que também está insatisfeito com o projeto de lei porque requer renomear instalações militares históricas, restringe a capacidade do presidente de usar fundos de construção militar para uso de emergência nacional e contradiz seus esforços para trazer de volta as tropas americanas do exterior.

“Por todas essas razões, não posso apoiar este projeto”, disse Trump em um comunicado em 23 de dezembro.

O presidente destacou que, apesar do veto, é um grande apoiador do Exército.

“Ninguém trabalhou mais ou aprovou mais dinheiro para os militares do que eu, mais de US $ 2 trilhões”, escreveu ele em seu comunicado. “Durante meus 4 anos, com o apoio de muitos outros, reconstruímos quase completamente o Exército dos Estados Unidos, que estava totalmente esgotado quando assumi o cargo.”

“Meu governo deu passos firmes para ajudar a manter nossa nação segura e apoiar nossos membros de serviço”, acrescentou.

Siga Allen no Twitter: @AllenZM

Apoie nosso jornalismo independente doando um “café” para a equipe.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas