Segurança relaxada no Capitólio em 6 de janeiro é ‘inacreditável’, diz ex-membro das forças especiais dos EUA

Por Brehnno GalganeTerça Livre

No domingo (10/1), o correspondente de guerra e protesto Michael Yon, durante uma entrevista no American Thought Leaders, apontou que a frouxa segurança no Capitólio em 6 de janeiro foi inacreditável. Yon disse que a falta de segurança parecia um convite para atacar o Capitólio.

Yon, um ex-membro das forças especiais dos EUA que estava nos protestos no Capitólio, disse que nas áreas em que estava perto do Capitólio, não havia segurança real em 6 de janeiro.

“Não havia nenhuma segurança real, realmente. Foi como um tiro certeiro, como o aeroporto de Atlanta, com luzes dizendo onde pousar”, disse Yon. “Foi um tiro certeiro para o Capitólio. Onde estava a segurança em um dia como este? Foi inacreditável.”

“Eles derrubaram as barreiras, que não eram nada, eram como a cerca de neve – você sabe, aquelas de plástico que você pode desenrolar – então não eram nada. Quero dizer, literalmente, uma criança pode derrubá-las”, disse Michael Yon.

O ex-membro das forças especiais dos EUA também disse acreditar que alguns dos manifestantes eram provavelmente membros do grupo terrorista “Antifa” ou de um grupo relacionado.

Yon foi capaz de detectar alguns sinais nos capacetes de algumas pessoas, como “ACAB”, que significa “todos os policiais são [palavrões]” – um sinal intrinsecamente relacionado à Antifa, mas não aos apoiadores de Trump, que geralmente são fortes defensores da aplicação da lei.

Apoie nosso jornalismo independente doando um “café” para a equipe.

Veja também:

 

 
Matérias Relacionadas