Samsung fecha fábrica na China devido a tarifas dos EUA que ameaçam afetar seus lucros

Serão dispensados cerca de 320 funcionários, permanecendo apenas seis executivos sul-coreanos

Por Annie Wu, Epoch Times

As tarifas impostas pelos Estados Unidos sobre produtos chineses de alta tecnologia estão causando um efeito dominó nas multinacionais com processos de fabricação na China.

O conglomerado tecnológico sul-coreano Samsung fechou sua fábrica no centro de produção da cidade de Shenzhen, no sul da China, devido à perspectiva de uma queda nos lucros quando os Estados Unidos impuserem tarifas de 25% sobre bens tecnológicos importados chineses, segundo boletim de 27 de abril do Lanjing TMT, site chinês de notícias sobre tecnologia.

No início de abril, a administração de Donald Trump anunciou uma lista de 1.300 produtos chineses que estariam sujeitos a tarifas punitivas, como robôs industriais, televisores de tela plana e automóveis, devido à prática de roubo de propriedade intelectual por parte da China.

A fábrica vai dispensar cerca de 320 funcionários, deixando apenas seis executivos sul-coreanos, segundo o Lanjing TMT. O total de indenizações pagas deve chegar a 20 milhões de yuan (cerca de 3,15 bilhões de dólares).

No início deste mês, especialistas da indústria avisaram ao Commercial Times no mencionado boletim que Samsung, LG e outras empresas multinacionais estavam considerando encerrar suas operações na China por causa das tarifas norte-americanas.

No dia da inauguração da feira de eletrônicos de consumo "Internationale Funk Ausstellung" em Berlim, na Alemanha, em 5 de setembro de 2014, visitantes observam um televisor de tela curva exibido em um stand da Samsung (Tobias Schwarz/AFP/Getty Images)
No dia da inauguração da feira de eletrônicos de consumo “Internationale Funk Ausstellung” em Berlim, na Alemanha, em 5 de setembro de 2014, visitantes observam um televisor de tela curva exibido em um stand da Samsung (Tobias Schwarz/AFP/Getty Images)

A tendência é sair da China

Smartphones Samsung Galaxy Note 8 são exibidos em um showroom da empresa em Seul, na Coreia do Sul, em 31 de outubro de 2017 (Jung yeon-je/AFP/Getty Images)
Smartphones Samsung Galaxy Note 8 são exibidos em um showroom da empresa em Seul, na Coreia do Sul, em 31 de outubro de 2017 (Jung yeon-je/AFP/Getty Images)

O êxodo de empresas estrangeiras ocorre à medida que a China se esforça para melhorar seu setor produtivo e estimular o tipo de crescimento que irá impulsionar o país a se tornar uma economia avançada.

Em julho de 2017, as autoridades de Shenzhen divulgaram um artigo sobre a economia da cidade, o qual revelou que mais de 15 mil empresas deixaram Shenzhen nos últimos meses, incluindo a multinacional holandesa Philips e a empresa norte-americana Honeywell.

Colaborou: Ling Yun

 
Matérias Relacionadas