Samsung confirma graves defeitos em suas baterias (Vídeo)

Algumas apresentaram curtos-circuitos e outras não possuíam membranas de isolamento devido a erros de fabricação

Por Epoch Times

Samsung confirmou que defeitos em suas baterias causaram incêndios perigosos em seu modelo de telefone móvel Galaxy Note 7, que teve sua fabricação interrompida, informou esta semana a Euronews.

O chefe da divisão de telefonia móvel da empresa de tecnologia coreana, Koh Dong-Jin, informou que, como parte de uma investigação, verificou-se que algumas das baterias de íon-lítio analisadas apresentaram curtos-circuitos e outras não possuíam membranas de isolamento devido a erros de fabricação.

A investigação foi iniciada depois que um automóvel em Detroit pegou fogo por causa de um celular. Uma mulher estava viajando em 21 de maio e levava próximo a ela dois smartphones, um Samsung Galaxy S4 e um Samsung Galaxy S8, presos em um suporte no painel.

A mulher contou que viu faíscas saindo de um dos smartphones, e nem tinha ainda conseguido parar o carro quando este já estava coberto de chamas.

O acidente custou à Samsung cerca de 5 bilhões de euros, conforme matéria da Euronews.

“Nós encaramos este incidente como uma oportunidade e fortalecemos nossas ideias. A partir de agora, priorizaremos a qualidade do produto e a segurança do cliente”, disse Dong-jin.

O porta-voz explicou que cerca de 700 mil pesquisadores recriaram processos de carregamento e descarga com cerca de 200 mil dispositivos e cerca de 30 mil baterias.

A confirmação da Samsung talvez explique as reclamações anteriormente feitas sobre as baterias. De acordo com Starmag, alguns usuários queixaram-se de problemas de desligamento do Galaxy Note 7, Galaxy Note 8 e mesmo em alguns Galaxy S8 Plus.

Samsung irá publicar na próxima terça-feira (03/07) seus resultados comerciais correspondentes ao quarto trimestre de 2016 e de todo o ano. Acredita-se que a empresa alcançou suficientes benefícios operativos devido ao aumento das vendas de microchips e monitores, como compensação.

No ano passado, o vice-presidente da Samsung Electronics, Lee Jae-yong, com 49 anos de idade, herdeiro de um dos maiores impérios empresariais do mundo, foi acusado de subornar o ex-presidente Park Geun-hye. A promotoria pediu 12 anos de prisão no tribunal de apelações em novembro passado.

 
Matérias Relacionadas