Rússia quer sediar competições em troca de anulação de punição por doping

Por EFE

Moscou, 10 abr – O ministro do Esporte da Rússia, Oleg Matitsin, levantou nesta sexta-feira a possibilidade de seu país sediar competições internacionais canceladas pela pandemia do novo coronavírus em troca da retirada das sanções por doping.

“Os dirigentes do Comitê Olímpico Internacional, a Agência Mundial Antidoping (Wada) devem entender que vivemos agora em condições completamente diferentes”, disse Matitsin, durante uma entrevista coletiva.

O ministro acrescentou que, para superar a crise mundial criada pela Covid-19, “é necessário abrir uma nova página e entender que o importante agora é estarmos juntos”.

“É preciso cooperar com o esporte internacional. Nos últimos dez anos, nenhum país organizou tantas competições internacionais ao mesmo nível que a Rússia. É preciso levar esse argumento em consideração”, enfatizou.

Na sua opinião, esse argumento deve ser avaliado pelos próprios juízes que estudam o recurso da Rússia contra a sanção da Wada por quatro anos, cuja audiência foi adiada para o mês de junho.

“Eles devem entender que agora vivemos em outra realidade. Existem prioridades e questões secundárias, a prioridade é o futuro do movimento olímpico e a consolidação da comunidade esportiva. A Rússia sempre foi e será um parceiro importante”, insistiu.

A Rússia se oferece às federações internacionais como local para diferentes torneios, especialmente os qualificatórios para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, que foram transferidos para o próximo ano.

Por conta da punição de quatro anos imposta pela Wada, os atletas russos só poderão competir em Tóquio-2020 e nos Jogos de Inverno de Pequim-2022, como “neutros”.

Dentro da sanção anunciada em dezembro do ano passado, a Rússia – onde a Covid-19 já matou 94 pessoas e infectou outras 11.917 -, também está proibida de realizar competições internacionais.

 
Matérias Relacionadas