Rússia diz que navio de guerra afundou após explosão; Ucrânia diz que foi a responsável

O incidente aconteceu enquanto a marinha da Rússia continua seu bombardeio de cidades ucranianas no Mar Negro

Por Reuters

A Rússia disse que seu principal navio de guerra no Mar Negro afundou na quinta-feira após uma explosão e um incêndio, o qual a Ucrânia alegou ter sido causado por um ataque de míssil.

O Moskva, navio-almirante da Rússia na sua frota do Mar Negro, afundou enquanto estava sendo rebocado para o porto em uma tempestade, segundo agências de notícias russas afirmaram, citando o Ministério da Defesa.

A Rússia disse anteriormente que mais de 500 tripulantes a bordo do cruzador de mísseis da era soviética foram evacuados após a explosão. A Ucrânia disse que atingiu o navio de guerra com um míssil antinavio Neptune, de fabricação ucraniana.

A Rússia, que não reconheceu o ataque, disse que o incidente está sob investigação. A Reuters não conseguiu verificar nenhuma das declarações, incluindo se o navio havia afundado.

“Enquanto o cruzador ‘Moskva’ estava sendo rebocado para o porto de destino, o navio perdeu estabilidade devido a danos no casco causados ​​pelo fogo”, disse o Ministério da Defesa.

“Nas condições do mar tempestuoso, o navio afundou”, disse.

O incidente aconteceu enquanto a marinha da Rússia continua seu bombardeio de cidades ucranianas no Mar Negro, quase 50 dias após o início da invasão. Moradores de Odessa e Mariupol, no mar de Azov, estão se preparando para novos ataques russos.

Os Estados Unidos disseram que não têm informações suficientes para determinar se o Moskva foi atingido por um míssil.

“(Mas) certamente, do jeito que isso se desenrolou, é uma grande perda para a Rússia”, disse o conselheiro de segurança nacional Jake Sullivan.

As forças russas recuaram de algumas partes do norte da Ucrânia. A Ucrânia e seus aliados ocidentais dizem que Moscou está se redistribuindo para uma nova ofensiva na região leste de Donbass.

A Rússia lançou seu ataque em parte para dissuadir a Ucrânia de ingressar na OTAN. Mas a invasão levou a Finlândia, que compartilha uma longa fronteira com a Rússia, e a vizinha Suécia a considerarem se juntar à aliança militar liderada pelos EUA.

Moscou alertou a OTAN na quinta-feira que, se a Suécia e a Finlândia se unirem, a Rússia implantará armas nucleares e mísseis hipersônicos em um enclave russo no Mar Báltico, no coração da Europa.

Comentando os reveses militares da Rússia, o diretor da CIA, William Burns, disse que a ameaça de que a Rússia use armas nucleares na Ucrânia não pode ser levada levianamente, mas que a agência não viu muitas evidências práticas que reforcem essa preocupação.

Preparação de tropas

A marinha da Rússia disparou mísseis de cruzeiro na Ucrânia e suas atividades no Mar Negro são cruciais para apoiar as operações terrestres no sul e no leste, onde luta para assumir o controle total do porto de Mariupol, seu principal alvo na região de Donbass.

A Rússia disse na quarta-feira que mais de 1.000 fuzileiros navais ucranianos de uma das unidades que ainda permanecem em Mariupol se renderam. Autoridades ucranianas não comentaram.

A Ucrânia disse que acredita-se que milhares de pessoas tenham sido mortas em Mariupol, onde estão sendo feitos esforços para evacuar civis. Na quinta-feira, o Ministério da Defesa da Rússia disse que 815 pessoas foram evacuadas da cidade nas últimas 24 horas. A Ucrânia disse que o número era de 289.

Autoridades ucranianas há muito alertam que a Rússia está reunindo tropas para ataques no leste, inclusive em Kharkiv, a segunda maior cidade da Ucrânia.

Mas a vice-ministra da Defesa da Ucrânia, Hanna Malyar, disse na quinta-feira que a Rússia também está organizando tropas ao longo das fronteiras do país com a região da Transnístria da Bielorrússia e da Moldávia.

A Moldávia acusou separadamente o exército russo de tentar recrutar moldavos. O Ministério das Relações Exteriores de Moscou não respondeu a um pedido de comentário. Autoridades na Transnístria, na fronteira com o sul da Ucrânia, negaram que a Rússia estivesse preparando forças lá.

Maylar disse que o bombardeio em Kharkiv matou quatro civis, com ataques de mísseis lá e nas regiões de Donetsk e Zaporizhzhia no sul. O governador de Donetsk, Pavlo Kyrylenko, disse que três civis foram mortos na região.

A Rússia disse que a Ucrânia realizou um ataque de helicóptero na região russa de Bryansk, o mais recente de vários ataques transfronteiriços que Moscou disse que pode desencadear um ataque de retaliação a Kiev.

Sete pessoas ficaram feridas no ataque de Bryansk, que atingiu prédios residenciais, disseram autoridades russas. Outra região russa, Belgorod, disse que uma vila foi atacada, mas que ninguém ficou ferido. As declarações de nenhum dos lados puderam ser verificadas. Os militares da Ucrânia não responderam aos pedidos de comentários.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 

 
Matérias Relacionadas