Revista AZ Business: “Como a extração forçada de órgãos na China afeta os EUA”

Autor do artigo afirma que a organização Médicos Contra a Extração Forçada de Órgãos apelou às Nações Unidas e ao Congresso americano para que pusessem fim à extração forçada de órgãos na China

Por Minghui.org

A AZ Business Magazine, que pertence ao grupo AZ Big Media, do Arizona, publicou um artigo em 10 de abril de 2019 intitulado “Como a extração forçada de órgãos na China afeta os Estados Unidos”. O artigo publicado será apresentado no próximo painel de discussão sobre a extração forçada de órgãos na China, que se realizará na University of Arizona College of Medicine, em Phoenix.

Dentre os especialistas que irão compor o painel, está incluído o advogado internacional de direitos humanos David Matas, que foi coautor de vários relatórios investigativos sobre extração forçada de órgãos de praticantes do Falun Gong na China; Winston Hewitt Jr., MD, copresidente do Comitê de Padrões em Transplante de Órgãos da Sociedade Americana de Cirurgiões de Transplantes; G. Weldon Gilcrease, MD, professor-assistente de oncologia na Universidade de Utah School of Medicine e vice-diretor do Médicos Contra a Extração Forçada de Órgãos; e Torsten Trey, MD, PhD, diretor-executivo do Médicos Contra a Extração Forçada de Órgãos.

O painel foi realizado na sexta-feira, 19 de abril, às 13 horas, moderado por David Beyda, MD, presidente do Departamento de Bioética e Humanismo Médico da faculdade. Alunos da Faculdade de Medicina foram incentivados a participar.

O Dr. Beyda disse à AZ Business Magazine que o evento foi realizado para aumentar a conscientização sobre as práticas antiéticas da indústria de transplante de órgãos na China e fornecer um fórum para uma discussão sobre ética médica. O intuito é que o público, os médicos locais e os estudantes de medicina aprendam sobre o assunto e as preocupações éticas de viajar para a China para o turismo de transplante.

O Dr. Gilcrease sugeriu que, devido à ignorância, o público americano e os profissionais médicos americanos corriam o risco de ser cúmplices desses crimes. Ele disse à AZ Business Magazine que as escolas de medicina dos Estados Unidos estavam treinando cirurgiões chineses em medicina de transplante e que esses cirurgiões haviam retornado para casa para participar dessas práticas antiéticas.

O autor do artigo da AZ Business Magazine escreveu que a organização Médicos Contra a Extração Forçada de Órgãos apelou às Nações Unidas e ao Congresso americano para que pusessem fim à extração forçada de órgãos na China.

O autor escreveu que em junho de 2016, o Congresso havia aprovado a Resolução 343 da Câmara, que pedia o fim da extração forçada de órgãos na China e reconhecia “relatórios persistentes e verídicos acerca da extração sistemática e não consentida de órgãos de prisioneiros de consciência, sancionada pelo Estado na República Popular da China, o que inclui um grande número de praticantes do Falun Gong e membros de outros grupos minoritários religiosos e étnicos.”

 
Matérias Relacionadas