Resposta do Epoch Times às declarações difamatórias da embaixada chinesa comunista no Peru

Por Ileana Alescio

À medida que a pandemia mundial de vírus continua se espalhando pelo mundo, o Partido Comunista Chinês (PCC) decidiu dedicar um tempo para desacreditar com falsas acusações um meio de comunicação independente dedicado a denunciar a verdade.

Esse meio de comunicação é o Epoch Times.

Primeiramente, se o PCC não houvesse ocultado o número de mortos e mentido sobre o contágio entre humanos do vírus do PCC, também conhecido como novo coronavírus, o mundo estaria melhor preparado e tantas vidas não teriam sido perdidas.

O PCC perdeu toda a sua credibilidade, entretanto agora ataca um meio de comunicação que figurou entre os primeiros a denunciar o vírus do PCC.

Fundado há quase vinte anos por sino-americanos em Atlanta, Geórgia, no ano de 2000, o jornal se tornou o maior veículo de mídia independente em língua chinesa do mundo. Oferece informações verdadeiras sobre a China e os eventos atuais para dezenas de milhões de pessoas.

Nos últimos vinte anos, o Partido Comunista Chinês (PCC) fez todo o possível para nos deter. Aprisionou e torturou nossa equipe na China. Intimidou nossos anunciantes no Ocidente, roubou nossos jornais e tentou destruir nossa imprensa.

Apesar disso, o Epoch Times prosperou e agora é publicado em 20 idiomas e 35 países ao redor do mundo, oferecendo notícias verdadeiras todos os dias.

Quando se trata do novo coronavírus, que chamamos de vírus do PCC, o Epoch Times tem sido um líder em informações. Não somente estivemos entre os primeiros meios de comunicação a noticiar sobre o surto na China, mas nos últimos meses temos publicado inúmeras reportagens exclusivas baseadas em documentos internos vazados da China que explicitam como o PCC mentiu ao mundo sobre o surto do vírus e sobre o verdadeiro número de mortos.

Em vez de concentrar sua atenção e recursos em conter o surto do vírus, o PCC decidiu dedicar recursos à publicação de declarações em uma revista peruana, a fim de atacar o Epoch Times.

Isto foi feito em resposta a um artigo que a revista Caretas publicou, embasado por uma entrevista com o jornalista investigativo sênior do Epoch Times, Joshua Philipp.

Philipp vem investigando o encobrimento do surto do vírus por parte da China e revelando suas mentiras sobre as origens da epidemia.

O PCC tem a intenção de confundir, exibindo críticas ao seu regime como se fossem feitas ao povo chinês. Quem quer que seja que tenha bom senso sabe que isso não é verdade. Nossos leitores sabem que não é verdade. De fato, o Epoch Times sugere que um nome mais preciso para o vírus que está causando a pandemia é o “vírus do PCC”, para distinguir claramente as vítimas do algoz.

Os fatos são que o PCC não comunicou sobre as evidências de transmissão entre humanos, prendeu médicos que tentaram avisar terceiros, destruiu e escondeu provas, mentiu constantemente sobre o número de mortos e está disseminando propaganda com a narrativa de que o vírus não se originou na China.

Seu objetivo é ocultar a verdade: que permitiu que o vírus do PCC se espalhasse por todo o mundo.

O PCC também procurou atacar o Falun Gong, uma disciplina espiritual cujos praticantes são perseguidos na China há vinte anos, inclusive através da horrível prática de extração forçada de órgãos enquanto ainda estão vivos.

O fundador do Epoch Times, John Tang, que fugiu da China após o massacre da Praça da Paz Celestial, é um praticante do Falun Gong que acredita nos princípios da verdade, benevolência e tolerância, os princípios fundamentais do Falun Gong (também conhecido como Falun Dafa).

Embora esses princípios sejam uma importante referência no que diz respeito a pontos de vista pessoais e a perspectivas quanto à importância de administrar um meio de comunicação honesto e verdadeiro, o Epoch Times é um meio de comunicação independente e não é financiado pelo Falun Gong.

O que o PCC mais teme é a esse princípio da verdade, porque muito do que faz é centrado no engodo e na mentira.

O Epoch Times continuará comprometido em informar de forma verdadeira e agradece a nossos leitores no Peru pelo apoio.

Também desejamos lembrar ao povo do Peru que o Partido Comunista Chinês não comunga do respeito pela vida humana. Estima-se que tenha matado 80 milhões de chineses em tempos de paz. Seu desprezo pela vida humana é claramente visto no modo como trata as pessoas, dentro e fora da China, em relação ao surto do vírus do PCC. Esse mesmo regime está agora tentando expandir sua influência no Peru, entre diversos outros países.

Veja também: 

O Método do PCC

 
Matérias Relacionadas